TRUMP(A)

FLAMENCO E POLÍTICA

Há quem ache que o flamenco é de esquerda e os flamencos, de direita.

Perguntado sobre o assunto, o cantor de flamenco Enrique Morente respondeu, ironicamente:

'Somos de donde más nos convenga. Que viene la izquierda, para la izquierda; que viene la derecha, para la derecha; el centro, para el centro... Menos para atrás, para cualquier lado'. 
Este mesmo Morente, em concerto após o assassinato de Carrero Blanco, interpretou um fandango, adaptando a letra... à ocasião. O original (de José Cepero, dedicado a uma mulher) diz:
"yo no me quito en mi vida el sombrero
pa ese coche funeral
que la mujer que va dentro
a mí me ha hecho de pasar
los más terribles tormentos". 
E a adaptação (que valeu a Enrique ser incomodado pela polícia e uma multa de 100.000 pesetas):
"yo no me quito en mi vida el sombrero
pa ese coche funeral
que la persona que va dentro
a mí me ha hecho de pasar
los más terribles tormentos".


O original soa assim, na voz de Tío Gregorio el Borrico [na foto]


escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

O ÓDIO DO PRESIDENTE


O Presidente da República considera ODIOSO o ataque contra cristãos coptas no Egito.

ODIOSO é aquilo que merece ou inspira ódio. Portanto, este ataque despertou ÓDIO EM MARCELO
(terá sido por ser ataque a cristãos?). 
Só falta saber como (e contra quem) é que o Presidente da República vai exteriorizar esse ódio.

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

ASTROLOGIA: PROGNÓSTICOS, SÓ NO FIM DO JOGO



Há um professor de filosofia que mantém um blogue onde, além de testes com questões algumas das quais eu não quereria resolver (pobres alunos!, digo eu) -- além desses testes, divulga as explicações astrológicas de alguns acontecimentos mediáticos. Por exemplo, atentados bombistas ou badaladas vitórias (ou quase) no futebol.

Foi o caso do "atentado bombista islamista em Manchester, Inglaterra, que matou 22 pessoas e feriu outras 59 no final de um espectáculo musical, em Albert Square, em 22 de Maio de 2017", que "estava escrito no Zodíaco ou circunferência celeste de doze signos ou arcos de 30º. Os terroristas são impelidos pela radiação dos planetas em movimento sobre a sua estrutura planetária psicológica (o seu mapa do céu de nascimento) e colocam as bombas ou disparam sobre pessoas ou atropelam pessoas na hora em que os planetas conjugados entre si determinam".

Esta explicação recebeu este título: Graus 14º-17º de Carneiro e 7º-8º de Touro e 16º-19º de Touro: Atentados Islâmicos na Europa.

O curioso destas explicações é que são todas posteriores ao acontecimento explicado. Se pudessem antecedê-los é que era porreiro, pá, não era?

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

VIOLÊNCIA DE GÉNERO? Pffffff!


O que é a VIOLÊNCIA DE GÉNERO em casos como este?

Estou cada vez mais distante (se tal é possível, de tão distante que sempre estive) de causas como esta.

[antes que seja mal interpretado: acho que publicar fotos ("íntimas" ou desse género) sem consentimento do próprio é moralmente mal e legalmente proibido. É. Que são sobretudo homens a fazer isso? Talvez (parece que) sim. E daí? O que é que isto tem que ver com igualdade de género? Os trabalhadores das minas e da construção civil e os assaltantes de bancos e... são maioritariamente homens. E daí?]

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

A ASSEMBLEIA DOS FFF



Há quem se admire por esta ovação unânime (a primeira vez que um músico é homenageado na Assembleia da República. A proposta de homenagem aos irmãos Sobral foi sugerida pelo Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e por todos os grupos parlamentares)

Eu, não. Não é este o parlamento do país que decidiu que o Panteão era o melhor sítio para viverem mortos como um tal que em vida dava uns pontapés na bola, de seu nome Eusébio? ou uma tal cantora que teve, durante muitos anos, uma boa voz? ou, quando morto, um outro moço que também dá uns pontapés na bola e é da Madeira? ou que não decide que esse é também o melhor sítio para os 3 pastorinhos de Fátima só porque assim ficariam longe da azinheira onde pousou a Virgem do Rosário de Fátima?

Então... de onde pode vir a admiração?! do facto de ser unânime? então algum partido estaria na disposição de, sendo contra ou abstendo-se, perder uns votitos em eleições? qual? o PC? o BE?

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

O PAÍS DOS INHOS, DAS MARIAS, DO FADO... ETC.

Fugindo um pouco aos temas do momento que vivemos, neste país ridente, vamos debruçar-nos sobre outro tema candente, que se tornou numa “praga”: a utilização sistemática e sem critério do diminutivo. Mas apenas com acrescento do sufixo -inho ao vocábulo original. Tout court! Há pragas piores, dir-me-eis! Pois há.

Vejamos então! Saiam à rua e comecem a tomar nota da quantidade dos novos vocábulos, assim formados, digamos, ao longo de uma hora. Verificarão que não há chafarica, estabelecimento comercial, loja de cidadão, restaurante, café, refeitório que se preze, onde, a par de um sorriso (perdão, sorrisinho), os receberão com pelo menos um -inho, ao qual não conseguem fugir. Pois a todos os nomes constantes do dicionário do cliente, bem como do de quem vos atender se acrescentou um -inho: vai desejar um cafezinho, um saquinho, uma sopinha, uma aguinha, um talãozinho, um geladinho, uma facturinha, a continha? E por aí adiante.


[imagem copiada daqui]


Se conseguirem sobreviver a tanto -inho e chegarem a casa sentindo-vos um/a velhinho/a cair da tripeça, o/a qual compreende melhor a palavra cafezinho do que café, suminho (deveria ser sumozinho) do que sumo, etc. etc, pensando que vai finalmente sossegar do linguajar/linguarejar urbano, desengane-se. O telefone toca (outra praga), atendemos incautamente e então, as Marias deste país, e são muitas, passam a chamar-se Srª Maria, nome pelo qual nunca responderam.

E pode acontecer que ao desligarem, agastadas, o telefone, logo o telemóvel se ilumine com a mensagem onde lerão, alarmadas: Maria, venha ter connosco, temos a solução, blá, blá, blá. Normalmente é um rastreio auditivo, ou similar; em todo o caso, qualquer coisa relacionada com a saúde, ou a falta dela, dos velhos. E, portanto, mensagem essa semeada de -inhos.

Quanto ao Fado, é ocioso escrever seja o que for sobre o assunto. Os Portugueses descobriram-no e descobriram-se cantores incontestáveis, e incontestados, do mesmo. Ainda que alguns miem.

Dir-me-ão: para que havemos de nos preocupar com estas minudências, quando impende sobre as nossas cabeças o terrível aquecimento global, a nossa divida é, quiçá, impagável, os Bancos desmantelam-se um a um e reconstroem-se à nossa volta? Temos o trump, e a Le Pen, o da Coreia?

Pois, são mais e grandes preocupações a juntar aos pequenos aborrecimentos do quotidiano, que nos impedem de reparar nos maiores, por esgotamento das nossas energias.

escrito por Gabriela Correia, Faro 
[sob a influência do ruído da farra dos dias da Semana Académica. E com o velho AO.
P.S. Há um vocábulo ao qual o -inho se deve aplicar sem restricções: o café. Devido à crise, penso eu, o preço da chávena do café não aumentou, mas a quantidade do apreciado líquido diminuiu. Drasticamente. SEJAM FELIZES, QUAND MÊME!]

LEIA O RESTANTE >>

...A VOZ DE TODOS NÓS?!


Que raio de país! É o euro... histeria! É Ronaldo... histeria! É um tal Salvador que mia... é "a voz de todos nós!"

Como se diz em linguagem do nuórte: fuôda-se!

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

PAGADORE/AS DE PROMESSAS


Talvez Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que manhosamente enganou o pobre marido, talvez ela se não importe com estas Oblatas e outros Oblatos que por aí andam a "pagar promessas" por outros.

Mas o Cristo que expulsou os vendilhões do templo há de estar com vontade de novamente reencarnar, mas agora ali prós lados da Cova da Iria. E entrar em alguns conventos e santuários. 

escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>

ONDE QUER CRISTAS AS MÃOS?

 


Já agora... Cristas explica que as mãos dos sindicatos ali seria a institucionalização da cunha.
  • Ela lá sabe, presumivelmente por experiência própria, como é que isto se transforma (necessariamente) em cunha.
  • Isto revela o que Cristas pensa dos sindicatos. Nada de novo, bem sei -- mas é conveniente sublinhá-lo.
escrito por ai.valhamedeus

LEIA O RESTANTE >>