TRUMP(A)

AS POSIÇÕES MORAIS DE MANUELA FERREIRA LEITE

Ferreira Leite

Há coisas que não lembram ao diabo, mas lembram a Ferreira Leite.

Veio a Senhora, nestes dias, defender a família e o casamento como unidade fundamental, ou unidade vital da sociedade. De resto, no seguimento do veto presidencial à lei das uniões de facto. Manuela Ferreira Leite continua nos anos sessenta em matéria moral -- e trazer a moral para a política dá barraca. E isto porque a sociedade mudou e, apesar de a família através do casamento continuar a ser a primeira ou a principal unidade social, não é a única. Hoje há unidades familiares que não assentam no casamento e são unidades estáveis e duradouras. E, por aí, não passa a clivagem social portuguesa. Há mais tolerância do que parece na sociedade portuguesa e mesmo na base social a que a candidata do PSD pretende agradar. Mesmo na igreja católica há ideias diferentes e mais tolerantes do que as expressas pela Senhora. Mas, tal como Paulo Portas, que continua a falar de lavoura, como se estivéssemos no tempo do pic-nicão, Cavaco/Ferreira Leite continuam num mundo que não é desta época.

Ferreira LeiteEsta posição de Ferreira Leite tem também como pano de fundo a oposição às uniões homossexuais. Estúpida. Ela e Cavaco. Estúpidos! A realidade é outra e ultrapassa a sua vontade.

A posição em relação à homossexualidade tem sido comum à direita e à esquerda tradicional. O PCP também foi contra
(e julgo que ainda é)
tratando tais situações como desvios e doenças. Júlio Fogaça foi expulso do PCP por esse motivo.

Cavaco e Manuela não se dão conta do ridículo das suas posições e julgam-se defensores de princípios imutáveis e que devem nortear a vida dos portugueses: princípios católicos, algo salazarentos. Nem a própria direita social já defende tais maluqueiras. Mas eles são assim: parolos.

Estas posições são objectivamente ajudas a Sócrates, que agradece.

escrito por Carlos M. E. Lopes

2 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Eu não percebo como há pessoas capazes de criticar esta senhora...
então e o fato vermelho não conta.
Pois fiquem sabendo que a dita fez um esforço enorme para se apresentar desta cor, claro que se esqueceu que o modelo é dos anos 50.
Eu cá depois de muito ponderar vou votar no PRD.

Anónimo disse...

E o mais absurdo é que ela é divorciada!
Então, então, por que não manteve o casamento, nem que fosse de fachada, para português ver?!