TRUMP(A)

LEIT(e)URAS [39] capitão de abril, capitão de novembro

Sousa e Castro

Sousa e Castro acabou por escrever as suas memórias dos anos setenta.

Mas começou mal. Pediu um prefácio a Marcelo Rebelo de Sousa, que era melhor não ter pedido. Depois de considerar que ser-se “conterrâneo é argumento definitivo em termos de disponibilidade para secundar alguém”, isto porque Sousa e Castro será do concelho de Celorico de Basto e Marcelo terá visto nascer lá uma avozinha… diz logo a seguir que as recordações de Sousa e Castro são “singelas, cruas, espontâneas…” Claro que diz disparates quando se refere ao PPD. Mas é, diz o prefaciador, “sonhador, ingénuo, simpático, lutador, desprendido”. Sobre o que Castro viveu dentro do MFA, aí já Marcelo nada pode dizer. Um bonito prefácio, sim senhor!

Quanto ao conteúdo, fiquei surpreendido com algumas nuances do 25 de Novembro. Não sabia que Rosa Coutinho tinha sido pura e simplesmente linchado militarmente pela “revanche” pós 25 de Novembro; que Lucas Pires foi um algoz enquanto instrutor de processos de afastamento de militares impolutos e que foram perseguidos só por serem considerados de esquerda. Um bando de malfeitores, foi o que foi. Gostei sobretudo desta parte. Acresça-se que trata Soares e Sá Carneiro como sempre os vi: muito oportunistas. Só por isso, vale a pena ler o livro.

escrito por Carlos M. E. Lopes

3 comentário(s). Ler/reagir:

Francisco Almeida disse...

Capitães ... são os de Abril (ponto).

alferes miliciano disse...

Tira Salgueiro Maia e põe no teu dicionário.

capitães de abril = faxineiros

Anónimo disse...

Até que enfim que há alguém que não endeusa o "Santo" Sá Carneiro!
MGR