TRUMP(A)

MÚSICA PARA O FIM DE SEMANA - sonoridades creoulas


Também conhecido como Desandann (descendentes em crioulo), o conjunto vocal The Creole Choir of Cuba evoca as canções tradicionais que os imigrantes haitianos levaram para Cuba, em diferentes fases da História. Isto aconteceu principalmente através do Paso de los Ventos, que liga São Nicolau ao oriente cubano.

Estas imigrações influenciaram o desenvolvimento da música cubana, especialmente nos dois ritmos de Guantánamo: a tumba francesa e o changüí, variante do son. Grande parte das coreografias do Creole Choir evocam os cantos e as danças das plantações de açúcar e café nessa região, onde floresceu uma cultura até hoje pouco valorizada.

No entanto, The Creole Choir of Cuba provém de Camagüey, no centro da ilha (a imigração haitiana estendeu-se até Sancti Spiritus) e é dirigido por Emilia Diaz Chavez e composto por dez músicos. As suas apresentações em Womex e diversos festivais no Reino Unido têm despertado todo o tipo de elogios, não só pela história que contam, como ainda pela perfeita polifonia das suas vozes e pela sua percussão. O seu repertório é composto por uma vasta gama de arranjos corais, que incluem merengues haitianos, mazurcas crioulas ou merengues martiniquenhos. O seu primeiro álbum tem doze canções e uma amostra foi incluída nos recomendados da Gladys Palmera.


[Undiscovered Voices of the Caribbean está aqui]

Um cheirinho musical, para estimular o apetite: a 1ª faixa do disco, Edem Chanté:


escrito por ai.valhamedeus

0 comentário(s). Ler/reagir: