TRUMP(A)

hoje é sábado 108 O FUTURO

Sei que me espera qualquer coisa
Mas não sei que coisa me espera.

Como um quarto escuro
Que eu temo quando creio que nada temo
Mas só o temo, por ele, temo em vão.
Não é uma presença: é um frio e um medo.
O mistério da morte a mim o liga
Ao brutal fim do meu poema.
[Álvaro de Campos]

escrito por Carlos M. E. Lopes

0 comentário(s). Ler/reagir: