TRUMP(A)

APELO À ABSTENÇÃO

Nestes dias de campanha eleitoral, eles beijam as velhinhas, eles apertam a mão a toda a gente, eles pegam nas crianças ao colo, eles dão-nos jantares para encher comícios, e sacos e canetas e outros "presentes" merdosos... eles até fazem o pino
[nalguns casos, ultimamente, fazer o pino foi subir para os automóveis da campanha].
Eles fazem tudo para que nós lhes demos o voto.

Nós damos-lhes o voto
[e quem dá o que tem fica sem o que dá]
e eles fazem dele o que bem entenderem.


Já é mais do que tempo de dinamitarmos este ciclo que volta e meia nos toca, para a seguir nos tramar. Já é mais do que tempo de não lhes darmos voto nenhum
[já que tramam outras tramóias entre eles, eles que decidam também, entre eles, quem é o eleito].
Desta vez, eu não lhes dou o meu voto.
Eu não vou votar. Faz o mesmo!
...que isto há-de dar uma volta.

escrito por ai.valhamedeus

1 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Será por tudo isto que pensas e sentes que alguém já baptizou o dia de ananhã como

??? O dia do alívio ????

O Senhor Kuelho