TRUMP(A)

PODE SER UMA AGULHA NO PALHEIRO

Na homilia, que decorre na Exponor, o partido da propaganda reserva para o(s) crítico(s) as horas mortas e pouco participadas. Por alguma prosaica razão, quando isso acontece, os principais lideres estão pelo adro em "alegre" cavaqueira, fazendo contas sobre a estatística do engano e do logro que, depois da "missa" celestial, há-de render melhores resultados nas sondagens.

Com uma comunicação social anestesiada pelo comício e inteiramente rendida ao espectáculo e às bem-feitorias, resta-nos aproveitar alguma distracção para perceber que, ontem,
um militante corajoso "quebrou a unidade em torno do líder dando origem aos primeiros assobios".
O "Público"
[que há-de pagar por isso],
divulgou a notícia aqui.

escrito por Jerónimo Costa

0 comentário(s). Ler/reagir: