TRUMP(A)

HIJOS DE PUTA


A viagem (de ida e volta) Viseu - Vilar Formoso custa, em portagens, cerca de 20 euros. Este fim de semana, tentei fazer o percurso por estradas alternativas, mas desisti a meio: o tempo de viagem quase triplica... e é necessário contar com isso para determinar a hora da partida.

Já em Fuentes de Oñoro, a conversa de café com um local descambou para o assunto. Lamentava-se o espanhol, com familiares a trabalhar na Guarda, do preço que estes têm de pagar ("e vocês, os portugueses, também, claro") para ir... trabalhar. "Com os vossos governantes, acrescentou, voltamos ao século passado, atirados para aquelas estradas onde se anda a passo de caracol".

Discorreu durante mais alguns minutos sobre "os vossos governantes" e terminou a argumentação, indignado, com um sonoro "hijos de puta!"

ps1: quando, aqui há anos, se discutiu a duplicação das vias do então IP5, não entendi os argumentos de quem defendia a alternativa da construção de uma auto-estrada paralela. "Não tarda, cobram-nos portagens", era o principal argumento. Não entendi, porque IP é IP. Bem tentaram explicar-me que bastaria mudar o nome para auto-estrada, mas eu não entendia como é que a mudança de nome poderia provocar a mudança da realidade. Burrice minha, é claro.


ps2: a irritação com que entrei na chamada A 25, depois da tentativa de escapar ao roubo que nela se pratica, permite-me entender o chamado vandalismo de quem, esta madrugada, atingiu a tiro de caçadeira e incendiou os equipamentos do pórtico de cobranças de portagens de Boliqueime, na Via do Infante. É a razão da violência menor contra a razão da violência maior
(porque a violência legal é sempre grande. Muito grande)...
escrito por ai.valhamedeus

6 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Transcrevo um excerto das declarações da Comissão de Utentes da Via do Infante:

"Com as portagens, milhares de vizinhos espanhóis e outros estrangeiros vão deixar de visitar o Algarve, havendo já indícios nesse sentido. Tal facto contribuirá para a catástrofe social e económica da região. O que se passou com estes visitantes no primeiro dia de cobrança, com as máquinas avariadas, devia cobrir de vergonha os nossos governantes", referiu a Comissão. (...)
Gabriela

Anónimo disse...

Porque não entendem ter de pagar portagens? Quem vai do Porto para Braga, paga desde o início, como desde o início paga quem vai de Coimbra para o Porto, Aveiro, Lisboa e por aí fora. também têm estradas alternativas, exactamente como as vossas. Porque é que um professor, médico, comerciante... de Viseu, Guarda, Chaves, Faro... deve andar em autoestradas sem pagar e os seus congéneres do litoral pagarem desde o início todos os centímetros de autoestrada que percorrem? Ou um professor, médico, engenheiro, comerciante... do interior recebe menos que os seus iguais no litoral?
Quando o interior não tinha as autoestradas clamava por elas, agora que as tem querem que o resto do povo as pague. E não venham com a conversa dos pobrezinhos, pois tanto quanto eu tenho conhecimento, essa faixa da população não tem transporte próprio e para eles a autoestrada "nem aquece nem arrefece". Direitos iguais, deveres iguais, devem ser assim as sociedades solidárias.
Já agora vandalizar propriedade pública até se pode entender, mas atirar a assustar com o risco de matar, sobre pessoas que trabalham numa dada empresa que não nos agrada é um acto covarde e vil.

A. Gomes disse...

Caro/a anónimo/a,

no caso da A25 (é a que conheço melhor), a razão é simples. A A25 resultou de um roubo do IP5. A A25 é, por várias razões, uma falsa auto-estrada.

Além disso, a alternativa à auto-estrada Coimbra-Porto não é nada "exactamente como as vossas"; ou não conhece a alternativa à A25 (o Vale do Vouga, por exemplo, lindíssimo mas inavegável) ou, se a conhecesse, está a escrever de má fé.

Anónimo disse...

tente fazer Porto Aveiro Coimbra... etc etc pelas nacionais e municipais e compare com a vossa realidade. Depois diga-me a diferença.
Se são falsas ou verdadeiras, não sei, o que sei é que ficam muito caras aos contribuintes e isso, quando é só para benefício de alguns não pode ser.

Anónimo disse...

E, por acaso, a A22(Via do Infante) tem perfil de autoestrada? Só se for de 2ª categoria. Nem de IP, quanto mais. Nunca gostei dela, acho-a perigosa, prefiro estradas secundárias.
Estou-me a referir, bem entendido, ao troço entre Vila Real de Santo António e a entrada na A2 para Lisboa.
Gabriela

Lucido disse...

Sr.Anónimo então?? (..)"Quando o interior não tinha as autoestradas clamava por elas, agora que as tem querem que o resto do povo as pague."(..)gostava de saber quem pagou as auto-estradas onde andas ai a passear? se calhar foram os Algarvios!..pois uma boa percentagem do pib, deste país vai do turismo Algravio. E se não quiseres levar o carrinho é só ires para uma estação da CP ou paragem de autocarro e ai, vais tu na maior, que aqui os tótós já pagaram para tu teres. O Algarve continua a ser uma da regiões que mais dá ao país e não beneficia com isso, é sempre o ultimo, ainda não tem uma rede de transportes públicos e já inventaram uma AE para sacar. Prometeram melhorar a EN 125, e nada, devia de ser obras que não davam para paparem algum e então promete-se faz-se concurso mas, não se faz a obra.A via do Infante quando nasceu nem alcatrão tinha, era de cimento, morreu lá muita gente, não podia cair uma chuvinha que, era ver os bombeiros a correr para lá, o Betuneira do Amaral pagou-a com dinheiro da Europa, teve anos e anos ao abandono tinha lombas que faziam lembrar a montanha russa, agora deram lhe um jeitinho e toca de cobrar.Pelo menos agora tem uma coisa melhor que todas as outras estradas do país, uma patrulha da GNR em cada pórtico, talvez sirva para reduzir o crescente reportório de acidentes.O que me repugna nisto tudo, é terem amanhado uma estrada para desenrascar os Algarvios, pois os acessos em 91 eram péssimos, (como ainda hoje) e havia uma expo de Sevilha no ano a seguir, então lá se fez a coisa, hoje usa-se isso para espremer mais quem já não tem.