TRUMP(A)

EUSÉBIO, 70 ANOS

Faz, hoje, 70 anos Eusébio da Silva Ferreira, o melhor jogador português de todos os tempos, porque jogou na melhor equipa do mundo do seu tempo: Benfica!

Na segunda-feira, era um reboliço na Tia Matilde. Judite de Sousa entrevistava Eusébio à mesa, Cecília do Carmo esperava a sua vez para entrevistá-lo no bar para a RTP. Na sala, almoçava Medina Carreira com um advogado; noutra, Almerindo Marques, o homem das estradas de Portugal, fazia o mesmo, tendo sido efusivamente cumprimentado por Judite de Sousa, sua antiga empregada e que cumprimentou também Medina. Noutra Rúben Carvalho meditava em como se ver livre de uns certos professores na Festa do Avante e observava toda aquela azáfama. Numa mesa, irradiando charme, o histórico do MRPP, Carlos Paisana, com a mulher, autora de muitos murais do MRPP, a Rosário Félix, devorava um pato com arroz e beberricava um Duque de Viseu.

Tudo isto rodeado de muitas câmaras, cabos, projectores e a simpatia de sempre do Sr. Emílio que, com mais de 90 anos, lá se mantém à frente do Restaurante.

escrito por Carlos M. E. Lopes

5 comentário(s). Ler/reagir:

Ai meu Deus disse...

O "antigo regime" foi regime de um único partido, de uma única religião, de um único desporto, de uma única música,...

Salazar foi o representante do partido; Cerejeira, o da religião; Amália, o da música; Eusébio, o do desporto-futebol...

É isso o que faz de Eusébio o REI (e da Amália, a alma portuguesa).

Anónimo disse...

Segundo o insuspeito Fernando Dacosta, Salazar não gostava do Cardeal Cerejeira, achava-o um rapioqueiro; detestava fado e futebol, mas como o povo gostava, dava-lhes futebol, missas e fado, para contentar e dominar o "bom povo português".
Gabriela

Anónimo disse...

Ah! E nunca acreditou em Fátima., segundo a mesma fonte

Gabriela

Anónimo disse...

Amália, afirmou que não entendia nada de politica e que os poemas que tinham conteúdos políticos e que ela cantou não foram assim entendidos por ela, Eusébio jogava era o que sabia fazer.....no tempo de Salazar fazer leituras políticas não era assim tão comum....(como agora)

Ai meu Deus disse...

Não critico nem o Eusébio (uma pessoa que, repito, acho simpática) nem a Amália (gosto de alguns dos fados que canta). Nem mesmo considerando a eventual falta de consciência política.

Quanto a Cerejeira e Salazar, o caso é bem diferente...