TRUMP(A)

SÍSIFO SEGUNDO CAMUS


Prémio Nobel da literatura em 1957, existencialista do absurdo, Camus morreu a 4 de janeiro de 1960.

O meu baú aproveitou o pretexto para, com o texto Sísifo segundo Camus, recordar o "seu" Sísifo -- e o problema do sentido da vida (ou da falta dele). Sendo a vida absurda, a saída é o SUICÍDIO?


escrito por ai.valhamedeus

1 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

De acidente. Era para ter ido de comboio, mas um amigo ofereceu-lhe boleia. Para chegar mais depressa... e evitar o incómodo da viagem.
Ele há coisas...
Gabriela