TRUMP(A)

hoje é sábado 211. GOTA DE ÁGUA

Gota de água
eu
em tua boca

A matar-te a sede
de solidão incerta

O que mais serei eu
se apeas
essa chuva

Gota aprisionada
que logo se liberta?
[Horta, Maria Teresa, As palavras do Corpo (antologia da poesia erótica), Dom Quixote, Lisboa, 2012, pág. 75]

escrito por Carlos M. E. Lopes

0 comentário(s). Ler/reagir: