TRUMP(A)

OS AFETOS DOS MENINOS DOS COLÉGIOS

[foto copiada daqui]

A Igreja Católica Apostólica Romana foi o rosto mais visível da ameaça de luta no terreno contra a anunciada moralização da sustentação pública do ensino privado. Compreende-se: é a Igreja quem mais lucra com o negócio, seguindo-se o grupo GPS, a contas com a justiça (presume-se...)
[vem a propósito lembrar declarações de um ex-diretor da DGAE, em tempos de governação Cratiana: "É um escândalo que o ministério transfira para o ensino privado 160 milhões sem qualquer auditoria"]
Ameaça que se concretizou. O movimento de ataque
(personificado no Defesa da Escola ponto. Ponto de interrogação?, pergunto eu) 
às pretensões do governo tem tido uma intensa atividade constante. Múltiplas e (quase) diárias iniciativas, algumas das quais pouco pacíficas: a utilização de crianças como "escudos humanos" nas manifestações, por exemplo. Ou a pressão sobre os pais. Ou esta carta, presumivelmente escrita pela(s) criança(s) que a assina(m) -- afetuosamente escrita, no estilo afetuoso da pessoa a quem se dirige, com beijinho e xi coração (para tentar fazer esquecer quem ganha com os contratos de associação?)


[clicar, para ler melhor]

escrito por ai.valhamedeus

1 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

oh homens de boa vontade! É esquisito ouvir estas parlengas das criancinhas. O Pacheco divulgou e a turba vai atrás...
Mas vocês que passaram quatro anos nas ruas, nas ditas manifestações, nunca se aperceberam que elas andavam por lá, é que eu via, na televisão, é claro?
Estas crianças são diferentes das vossas?
Que é isso de "escudos humanos"? Pensam que isto é a Venezuela do vosso amigo Maduro, ou a Síria, ou a Palestina?