TRUMP(A)

aconselho 3. CANTAR LONTANO

Cantar LontanoO 35º Festival Internacional de Música de Espinho está no fim -- e eu perdi-o todo, até agora
[e perdi coisas de monta, como se pode ver pelo programa].
Pode ser que não perca, hoje
[às 22 horas, no Auditório de Espinho]
o espectáculo Si’ dolce è il tormento, do Cantar Lontano
[Roberta Mameli, soprano; Gian Paolo Fagotto, tenor; Simone Vallerotonda, teorba e guitarra barroca; Marco Mencoboni, cravo e direcção musical].
Bilhete normal: 7 euros
Preço reduzido: maiores de 65 e menores 25 anos: 5 euros
"Música antiga por um dos seus melhores intérpretes: o grupo Cantar Lontano. Largamente aplaudido pela crítica desde a sua fundação, é a primeira vez que se apresenta no FIME que se abre, deste modo, à música do século XVI, num ambiente de cores, emoções, ambientes, sentimentos… através de um repertório de rara beleza".


escrito por ai.valhamedeus

2 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Excelente e comovente. Se fosse num dia cinzento e de chuva, acho que vertia uma lágrima! O verão, porém, ameniza o dramatismo desta música celestial.
Como é que alguém não gosta de Bach? Ou de música clássica? Está para além do meu entendimento.
Gabriela

alberto disse...

Admiro a sua disponibilidade, que confesso não ter, para ir longe ouvir Monteverdi e contemporâneos, no reputado grupo de música antiga“Cantar Lontano” que esteve há pouco em Lisboa no 98º aniversario do I.S.T. Obrigado pela amostra que deixou no blog.Alberto