TRUMP(A)

DOCE TORMENTO

Não perdi o espectáculo de ontem do Cantar Lontano

[belíssimo. Encantou-me especialmente a voz -- e a figura -- da soprano Roberta Mameli].
O nome
[Si Dolce è il tormento]
foi inspirado num dos temas interpretados, um dos 2 de Monteverdi que faziam parte do programa
[o outro, o encantador madrigal Bel Pastor, foi repetido, para (cor)responder às palmas dos presentes].
Aqui ficam 2 interpretações, ambas de mestres: uma, de acordo com o original;



e outra, um "arranjo" jazzístico:



escrito por ai.valhamedeus

1 comentário(s). Ler/reagir:

alberto disse...

Da Festa da Música de 2003 no CCB (não perdi nenhuma desde a primeira em 2000, vantagens de viver na capital), dedicada a Monteverdi e Vivaldi, releio por vezes a tradução feita pelo CCB+Público do livro editado em francês pela Fayard, destes expoentes do barroco italiano, bom complemento para a fruição em casa, de alguns CD e DVDs das suas obras. Bem haja pelas duas belas interpretações com que nos presenteia
Alberto
PS. Gosto mais da calma duma peça de musica em auditorio pequeno, mas A Festa da Musica é uma forma inteligente de captar novos prosélitos da música boa (óbvio, “boa” nao se limita a clássica, meus filhos, embora exigentes alargaram muito meu reportório favorito)