TRUMP(A)

SARAMAGO E CARREIRA NEVES

Na íntegra, o frente-a-frente com José Saramago e o padre Carreira das Neves:



escrito por Adriana Santos

9 comentário(s). Ler/reagir:

toino do campo disse...

Esse Carreira, nas costas de Saramago, armou-se em atirador furtivo, chamando-o, textualmente, gato fedorento e coisas do género. No frente-a-frente, foi incapaz de manter o que dissera ou, eventualmente, interpretar à luz divina as metáforas que utilizara referindo-se ao escritor. Acobardou-se, preferindo armar-se em humilde cordeiro, signifique isso o que quer que seja quando interpretado pelos exegéticos teólogos. Contrastando com Saramago, frontal e claríssimo nas suas posições.

Anónimo disse...

Foi um bela versão dos Marretas.

Ambos e dois caquéticos e ultrapassados.

Um a fazer uma interpretação dos textos do Velho Testamento como se fosse um menino da 3ª classe:
... os 6 dias da criação do mundo... o céu...

Mas continua na sua "Deus não é de fiar" ... "Deus cruel" para logo a seguir dizer que é ateu... que acreditar em Deus, é para ele um "não possamus"

"... os caprichos são dos homens, não são de Deus..." dizia ele a respeito da Criação do Mundo e de ter descansado ao 7º dia.

Afinal Deus sempre existe, só que o Deus dele não será o Deus dos cristãos...

Insiste em fazer uma interpretação literal dos textos sagrados, demonstrativo que ficou pela catequese da 4ª classe.

Saramago não esteve bem mas Carreira ds Neves não ficou atrás.

Uma entrevista que não abona nem um nem outro

Mário

Fátima Rodrigues disse...

Nada de novo!
Um debate a oscilar entre uma visão historicista (inaceitável hoje face aos avanços das ciências sociais e humanas) e uma perspectiva onde a bíblia terá de ser lida nos seus (con)textos, recorrendo, para isso, à linguagem simbólica...
Só não percebo o porquê de tanta relutância, por parte do Saramago em aceitá-la, quando ele faz disso prática constante.
É que por estarmos perante um texto sagrado, que é para os crentes, Palavra de Deus, nem por isso o hagiografo que O compilou deixa de ser homem...como tal, as imagens que usa têm de ser entendidas num determinado contexto histórico, sócio-religioso e cultural...

Ai meu Deus disse...

Fátima,

o problema da leitura simbólica da Bíblia é que, contrariamente aos livros de Saramago (cujas imagens podem ter várias leituras e não têm uma leitura oficial), a Bíblia tem (para os católicos) uma leitura oficial: a do Vaticano. Isto gera vários contra-sensos:

1) a leitura simbólica oficial (não é por acaso que as Bíblias católicas se distinguem das outras por terem notas de rodapé) transforma uma leitura textual noutra leitura textual -- transforma o texto bíblico no texto interpretado;

2) contrariamente aos livros de Saramago, a Bíblia é (para os católicos) a Palavra de Deus. E o que é que faz a leitura simbólica oficial? dizer, textualmente, o que a Palavra de Deus, na Bíblia, diz simbolicamente. Vejamos o que isto dá, num exemplo: a Bíblia diz que Deus criou Adão e Eva. Durante séculos, a Igreja dizia que isto era, literalmente, o que Deus queria dizer; só muito recentemente a Igreja começou a dizer que, afinal, o que Deus queria dizer era outra coisa e aquilo era apenas um "mito".

Vamos lá ser claros: o que é que que mudou? Deus soprou ao ouvido do Vaticano que, afinal, o que Ele queria dizer era outra coisa? se não foi, então como é que o Vaticano chegou à conclusão de que o que Deus queria dizer era outra coisa? E porque é que devemos AGORA aceitar que não se deve fazer uma leitura textual mas simbólica? e porque é que deve ser essa A leitura? se é simbólica, porque é que se não deixa aos leitores a liberdade de fazerem a leitura que entenderem?

Se se segue o Vaticano (porque é possível ler a Bíblia com muito agrado de outro modo), isto é um sem fim de "coisas sem jeito"... E só o alibi da fé (que dá para tudo) pode... salvar tanto sem sentido.

freespirit disse...

O que mudou foi que a ciência pôs em causa o que a Bíblia tem escrito. E o paradigma teve que mudar para que ainda restasse algo de credível na dita.

Não tenho nada contra a Bíblia, é um livro bonito, até; um dia, na minha biblioteca pessoal, estará ao pé dos livros do grande Homero.

O que eu não oiço é o que pensam os católicos na verdade: é que o ser simbólico não impede que haja uma verdade, quanto mais não seja em relação à criação. O que pensam? Big bang: foi Deus quem o executou? Há que escrever um novo guia católico.

Galápago disse...

Ó Senhor Anónimo (dos marretas):

Saramago disse:
"não possumus", o que é completamente diferente;
"os caprichos têm que ser humanos, não podem ser divinos". Acha o contrário?
Esta deturpação recorrente das palavras do Homem é irritante. Revela imbecilidade, ou mera maledicência, muito cristã.
Compreendo que tenha ficado decepcionado com a prestação do padre. Mas não é pelo seu esforço de metê-los no mesmo saco que eles se tornam comparáveis. Note que a dificuldade não é do actor, mas sim do papel a representar.

Fátima:

Parabéns! Estabelecendo este paralelismo, entre os textos de Saramago e a Bíblia, coloca-a no seu devido lugar: ficção!

Ai meu Deus:

Não podia estar mais de acordo.

O Anónimo dos Marretas disse...

Imbecilidades diz o Galápago que deve ter fugido das Ilhas

Saramago diz incoveniências e é grosseiro quando afirma que Deus é um filho da puta!

Será isto uma contradição ou está apenas a usar uma netáfora?

Se lido literalmente dá a entender duas coisa: que deus tem mãe (e que esta é uma rameira, com actividade profissional activa) e que, assim sendo, deus existe, o contrário daquilo que saramago advoga.

Espada Ignea disse...

Assim é que se escreve, meu querido marreta. Vamso a eles! Tu não vês que eles não sabem a diferença entre uma puta e uma rameira? Na Bíblia não havia putas (por isso Deus não podia ser filho da dita. Mas havia muitas rameiras. As rameiras são outra coisa. Não te deixes confundir.

Anónimo dos Marretas disse...

Ora aí está.

!!! Vamos a eles !!!

Sugiro que se avance, já, com o movimento de libertação.
Poderemos enquadrá-lo no âmbito das NOVAS OPORTUNIDADES e assim, além de contribuirmos para a elevação cultural deste povo (viagens à estranja)
contribuiremos para a diminuição do desemprego e até limpeza dos Cadernos Eleitorais

Atrás deste numeroso exército putativo, milhares e milhares de putas, prostitutas, rameiras, meretrizes, messalinas (uma vez que no seu entender são tudo espécies diferentes) seguirão connosco.

Já viu, ilustre espadachim!!!

Portugal ficará limpo e assim facilmente cumpriremos os protocolos de Quioto, limpando o ambiente de nossas cidades

A terminar:
Muito embora sublinhe o "querido" com que me trate não vou dizer que tive o mesmo prazer, porque, prazer, nem sempre o tenho com a minha namorada quanto mais consigo.