TRUMP(A)

É SUSPENSÃO OU NÃO?

Transcrito do sítio da Fenprof na web

[onde há outras informações sobre a reunião de hoje com o Ministério],
sem outro comentário para além de... hummmmm!...
FENPROF propôs resolução de problemas decorrentes da aplicação do 1º ciclo avaliativo e suspensão do ciclo que agora se inicia

Na reunião realizada entre a FENPROF e o ME (18/11/2009) foi definido o calendário negocial para o desenvolvimento do processo de revisão do Estatuto da Carreira Docente, em que se inclui a aprovação de um novo regime de avaliação do desempenho. As reuniões negociais iniciar-se-ão em 25 de Novembro e prolongar-se-ão até 30 de Dezembro. As reuniões realizar-se-ão todas as quartas-feiras às 15 horas. À cabeça, a FENPROF verá definida a nova estrutura da carreira, devendo ser eliminada a sua divisão em categorias e depois, então, revistos os restantes aspectos que integram o Estatuto da Carreira Docente (ECD).

Nesta reunião, a FENPROF apresentou ao ME uma proposta escrita visando resolver um conjunto de problemas que decorrem do modelo de avaliação ainda em vigor, defendendo:

i) a suspensão da aplicação do segundo ciclo avaliativo;

ii) a garantia de avaliação de todos os professores no primeiro ciclo avaliativo, independentemente de terem exercido, ou não, o direito de apresentarem proposta de objectivos individuais;

iii) a anulação dos efeitos das designadas menções de mérito, atribuídas no primeiro ciclo avaliativo, designadamente para efeito de concursos.

O Ministério da Educação garantiu que seriam tomadas medidas que evitariam que os professores e as escolas se empenhassem em tarefas eventualmente desnecessárias para o futuro modelo de avaliação. Garantiu ainda que do 1º ciclo avaliativo, não seriam penalizados professores.

Ficou ainda prevista a marcação de outras reuniões, no sentido de serem tomadas medidas que permitam resolver problemas existentes e que carecem de resposta urgente.

Os assuntos propostos foram:

- Horário de trabalho dos docentes, concurso de professores, profissionalização em serviço, vínculo laboral dos docentes das AEC, Ensino Português no Estrangeiro, Direcção e Gestão Escolares, Educação Especial, entre outros.

Posteriormente, serão ainda solicitadas reuniões para a abordagem de outros temas muito importantes e que carecem, igualmente, de um debate profundo e de medidas concretas para a resolução dos problemas que forem identificados.

O Secretariado Nacional da FENPROF
18/11/2009
escrito por ai.valhamedeus

9 comentário(s). Ler/reagir:

vitor m disse...

Biso o teu hummmmmm...

Francisco Almeida - SPRC.FENPROF disse...

Ai valhamedeus ... será que devemos recusar a negociação ?
Creio que não e que estaremos de acordo neste ponto.
Se não aparecerem resultados aceitáveis, voltaremos à rua durante e após o processo negocial ... repito - durante e após.

jcosta disse...

Sim, pois...
Mas como se as "vitórias", tão pequeninas, já são tão grandes nos e-mails e no sorriso dos dirigentes, mesmo dos socratinos?
Esperem mais um pouco, até para se confirmar que os resultados são aceitáveis. Caso contrário vai ser difícil explicar ao povão como é que, de repente, no meio de tanto contentamento, enfrentamos as ruas descontentes.
Ouviram o Ventura? sim o Alex, ou não o (ou)vi bem, ou não bate (outra vez) a bota com a perdigota. Há por ali resquícios da outra...

Picoinhas da Arrifana disse...

picoinhas

Suspensão é muito menos que substituição.

Suspende-se para quê?
Ficar parado an eternum?

Sempre se ganha uma etapa (tempo é dinheiro) se avançarmos logo para a substituição do "nado morto"

Ai meu Deus disse...

Meu caro Picoinhas,

não faz sentido continuar a "trabalhar" (e há já calendário para continuar a "trabalhar", com data para apresentar objectivos individuais) para um modelo que vai ser substituído.

Quando se pede a suspensão, é disto que se trata. É difícil entender? será necessário fazer um desenho, como, pelos vistos, é necessário fazer ao Sousa Tavares (ou antes: para ele não é necessário, porque ele, pelos vistos, nem assim entenderia).

Francisco Almeida disse...

Eu quero ver a proposta de carreira.Entre outras coisas, quero saber o que está naquelas cabeças (no ME e na de Socrates) sobre o fim das categorias. Quero ver a solução que vai ser proposta para a avaliação. Mas... não tenho desacordo sem conhecer no concreto.Não tenho confiança nem deixo de ter ...quero ver !
Só com propostas consigo aferir se há soluções aceitáveis ou não.
Quanto à suspensão estamos conversados ... o modelo de avalição em vigor não pode começar a seu segundo ciclo sob pena de as escolas e os professores estarem a tratar de coisas inúteis. Só PS e o PSD não percebem isto... ou percebem até muito bem...mas

Ai meu Deus disse...

Ó Francisco (ó Xico K'muna),

isso (o de quereres ver...) é uma coisa. A outra é os dirigentes sindicais saírem de uma reunião com o Ministério de sorriso rasgado, de satisfação. Neste aspecto, o jcosta tem razão (particularmente se for necessário voltar à rua).

Até o Sousa Tavares já começou de apregoar aos 4 ventos na TVI que isto não pode ser grande coisa, porque os sindicatos estão satisfeitos. Se me interessa o que diz este gajo?! interessa. Porque há um conjunto de factores que começam de se conjugar: o acordo PS-PSD; o facto de o poder nunca dar nada de mão beijada; o facto de o governo psocratino nunca ter cedido, independentemente de ter ou não razão (bem sei que não tem a maioria absoluta, mas começa de a ter: no caso da suspensão já a tem).

Em suma: queres ver o quê, deste governo, senão que te mostre sinais claros de que mudou efectivamente de políticas? (na verdade o que diz, pela boca de secretários de estado e dirigentes parlamentares, é que quer continuar). O "caso" Roberto Carneiro devia ter ensinado (mais) algumas "coisas".

jcosta disse...

Pedro Duarte e Jorge La cão: não são do mesmo partido, não. Durante bastante tempo manifestaram posições antagónicas sobre a situação dos professores e do ensino. Pedro Duarte milita num partido que assumiu compromissos com os professores e fez da “verdade” a sua bandeira. Ontem, a troco de nada que se veja (mas que ainda se há-de ver), rasgou o compromisso e filiou-se na verdadeira mentira em que o partido do governo há muito se transformou. Pedro Duarte será o novo rosto de um embuste que, há mais de quatro anos, tomou conta da escola pública e do ensino em Portugal. Não me apetece festejar nada. Não sei qual é o segredo de tanta troca de sorrisos entre o ps e o psd, a ponto de o chefe de bancada dos últimos, num lapso propositado, referir que teve em consideração (apenas) os pais e os alunos. Para mim – e isso preocupa-me – à boleia dos professores e contra eles, o ps tem desde ontem maioria absoluta. O queijo limiano está de volta!

Francisco Almeida - FENPROF disse...

SEGUNDO CICLO DA AVALIAÇÃO DOS DOCENTES
ESTÁ SUSPENSO…

… interrompido, parado, a aguardar novas ordens… o termo pouco interessa, a verdade é que foi o Ministério da Educação quem, em 18 de Novembro, através de “comunicação à imprensa”, fez saber, no último parágrafo, que:

“Em relação às alterações a introduzir no Estatuto e na Carreira Docente, recorda-se que o processo de revisão está em curso. Neste contexto, as direcções das escolas deverão aguardar a conclusão deste processo e as orientações que o Ministério da Educação enviará sobre a configuração futura da avaliação do desempenho.” (ver texto integral em www.fenprof.pt)

Tal comunicação, no entanto, talvez por ter coincidido com o dia de realização das reuniões entre o ME e as organizações sindicais, não mereceu a atenção das redacções que, simplesmente, o ignoraram. Acontece que a DRELVT enviou o comunicado do ME para as escolas da sua área de intervenção (Grande Lisboa), sendo essa a via por que hoje a FENPROF teve acesso ao mesmo que divulga em anexo. Considera a FENPROF que será de grande utilidade que as restantes direcções regionais enviem este comunicado às escolas que superintendem, pois tal contribuirá para esclarecer a situação que, após o debate e as votações da passada semana, no Parlamento, não ficou completamente clarificada.

Portanto, sem medo das palavras, confirma-se: o segundo ciclo avaliativo está suspenso! Esta é uma boa notícia para as escolas e os professores, que se segue a outra que também foi tornada publica no dia 18 de Novembro: todos os professores serão avaliados no 1.º ciclo, independentemente de terem apresentado proposta de objectivos individuais.

Num momento em que está prestes a iniciar-se um novo processo de revisão do ECD, do qual se espera, entre outros aspectos, a eliminação da divisão da carreira docente em categorias e a substituição do actual regime de avaliação, os professores podem e vão concluir que valeu a pena, vale sempre a pena lutar!

O Secretariado Nacional da FENPROF