TRUMP(A)

SÁBIOS NA GUERRA, IGNORANTES NA PAZ

A ajuda a Haiti não chega porque os aviões não podem aterrar. Porque não há segurança para os socorristas, porque falta autorização das autoridades, porque não há, porque não há.

De repente o mundo rico e civilizado descobriu um país miserável e esquecido. E não sabe que fazer para ajudar. Condicionam a chegada, a entrega, o socorro. E choram perante as câmaras da CNN. Lágrimas de crocodilo. Este país foi invadido militarmente em várias ocasiões. E nesses momentos nunca houve dificuldades com os aviões e helicópteros, nem problemas de segurança, nem necessidade de autorização.

E as notícias dizem-nos estas coisas como se fôssemos todos brutos, como se não tivéssemos assitido à invasão do Iraque
(lá no fim do mundo)
em primeira fila. Todos aqueles aviões e helicópteros despejando toneladas de materiais e soldados. Grandes aviões carregados de veículos, tendas de campanha, hospitais. A guerra em todo o seu esplendor.

De repente, esses cérebros congelam-se e não têm a menor ideia de como transportar comida, água e medicamentos a um país ali ao lado. Estão há vários dias detidos na fronteira dominico-haitiana à espera... de godot. Os escravos quiseram a liberdade? Aí a têm.

escrito por José Alberto, Porto Rico

3 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Um post assim só podia ter sido parido por um cretino.
Um cretino que concerteza nem um cêntimo mandou para ajudar os pobres desgraçados.

J Alberto disse...

Se de cretinos se trata, quem será aqui o cretino: o que se responsabiliza pelo que escreve (com a possibilidade de ser chamado a contas num tribunal), ou o que se arma em juíz a coberto do anonimato, sem ter que prestar contas a ninguém? Ou pensará que tem força moral só porque meteu 50 cêntimos numa lata à porta dum supermercado ou duma igreja?

Para que a gente normal possa ver o que é realmente cretinice, só dois botões para amostra:

1. Os Estados Unidos enviaram há vários días 10.000 soldados para acções de segurança. Partiram e chegaram sem difilculdade.
2. Um barco de carga con várias centenas de contentores com ajuda de primeira necessidade, esteve vários dias no porto de São João de Porto Rico (aqui ao lado do Haiti) à espera de autorização para zarpar. Zarpou ontem finalmente.
Muitos alimentos chegarão estragados, mas haverá suficientes cretinos anónimos a dizer que, «quando há fome não há ruim pão».

Ai meu Deus disse...

(Um)a prova do lado onde está a cretinice:

"Avião de Travolta fura fila no Haiti"