TRUMP(A)

DO CONTRA ESPECIAL - A 13 DE OUTUBRO

Sendo um blogue sempre em cima do acontecimento, o Ai Jesus! tem de se pronunciar sobre o acontecimento do momento: a libertação dos mineiros chilenos.

Fiquei contente ao saber que aquelas dezenas de pessoas foram/serão libertadas. E parece-me que esse sentimento é pacífico. Só me custou entender por que as televisões querem transformar os seus espectadores em voyeurs de um espectáculo
[o mais ao-vivo e directo possível],
no género dos concursos Big Brother.

Fui entendendo... aos pouqinhos. Comecei por ouvir caracterizar a libertação como um autêntico milagre. Soube, entretanto, que Sua Santidade encomendou o negócio às autoridades divinas
[surpreendo-me: se as autoridades divinas quisessem intervir, teriam evitado que a desgraça do aprisionamento dos mineiros tivesse acontecido; não o fizeram... e iam agora interessar-se pela coisa?! Às vezes, Sua Santidade...].
Também o bispo de Leiria recomendou os operários à Virgem da azinheira de Fátima. Um dos mineiros
[este, ouvi-o eu; mas é provável que outros o tenham feito]
agradeceu a libertação ao Criador
[explicitamente, dizia um jovem libertado: "Quero dar Graças ao Senhor. Ele é muito grande". E pareceu-me ver que um dos mineiros, pelo menos, vestia uma t-shirt com a inscrição "Gracias, Señor"].
Tudo isto pode parecer estranho
[boa sorte haveriam de ter os mineiros se apenas o Criador "actuasse" -- sem a actuação das empresas e dos trabalhadores implicados na libertação!... haveria de ser lindo, haveria!...]...
... mas tudo se foi conjugando para a explicação final. Entendo tudo, quando ouço alguns peregrinos de Fátima
[enquanto outros cantam A 13 de Outubro / foi o seu Adeus / E a Virgem Maria / voltou para os Céus]
relacionar o 13 de Maio com os acontecimentos no Chile: só pode ter sido patrocínio da tal Virgem da azinheira. E eu acredito piamente que sim. Piamente! Pia mente!

escrito por ai.valhamedeus

3 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Mas onde está o problema? a fé é proibida? ou querem-na proibir por decreto - o dr Afonso Costa e seus acólitos estão de regresso pelos 100 anos da república? como diz e muito bem não tem fé, se não lhe custar muito, deixe que quem a tem a possa manifestar... quem vai a Fátima e a Roma não é obrigado... vai porque quer... só mais uma coisa: não se ponha no lugar dos outros a querer experienciar aquilo que não viveu porque é isso que fazem em directo os milhares de "especialistas" que em todo o mundo comentaram os acontecimentos... é a experiência, unica e irrepetivel que nos muda e não meia dúzia de ideias feitas que alimentam o negócio dos media.

São Rafael Arcanjo disse...

Dou toda a razão a este ANÓNIMO. Estamos numa sociedade de mercado livre, libérrimo. Se temos a possibilidade de ganhar uns euros ou uns adeptos aproveitando o «negócio dos media», por que não aproveitá-lo? E assim ganham os negócios relacionados com Fátima; ganham os que fazem e vendem as T-shirts do «señor». Ao fim e ao cabo, e graças ao «señor», ganhamos todos. Todos excepto Piñera, que perdeu um dinheirão que podia ter cobrado aos media: milhares de jornalistas, câmaras, antenas, microfones...
E não esqueçamos que o «señor» podia ter avariado a cápsula que resgatou os mineiros e não o fez. Não é isso um grande milagre? É verdade que podia ter evitado que colapsara a mina, mas nesse caso lá se ia o negócio. E de negócios ninguém sabe tanto como o «señor». Por essas e por outras é que não há afonsos costa que proibam a fé. A fé no mercado livre, incluído o o mercado religioso.

Anónimo disse...

O povo é que tem razão: fia-te na Virgem e não corras.
Eu, se fosse à NASA e todos os que ajudaram , da próxima vez, mandava-os ir ter com el señor.
Se não fosse toda a tecnologia e o apoio psicológico que receberam enquanto soterrados, já não devia haver muito para salvar.
MC