TRUMP(A)

ESEN ABRIU: QUEM GANHA COM ISTO TUDO?

A Escola Secundária Emídio Navarro de Viseu
[uma das destruídas, para reconstruir, pela Parque Escolar do Governo pê-èsse]
iniciou o segundo período abrindo os últimos dos espaços intervencionados que faltava inaugurar. Espaços feios
[o que fizeram do "Museu", Santo deus!],
frios
[nos buracos dos ares condicionados das salas de aula saía ar frio, em dia... de frio]
e sabujos
[cheios de mobiliário e pó desarrumados].
Contado, ninguém faz ideia do nojo
[tanta porcaria, só pode ter sido tolerada por quem se está literalmente cagando para as pessoas que usam estes espaços. E nós toleramos tanta falta de respeito desta gentalha].
A professora Graça Martins registou algumas das "belezas" que deveriam fazer corar qualquer responsável pela situação que fosse minimamente decente. Aqui fica uma selecção, com comentários da própria:


[A monumental entrada da nossa nova Escola. Não foram retiradas as marcas de todo o trabalho desenvolvido, tanto no chão como nas paredes, para que se aprecie o labor de quem aqui trabalhou.... Repare-se nos armários - armários com muita história n/da Escola, que mostram para o público a sua traseira. Uma bela instalação que merece a reflexão e o estudo de toda a comunidade!
E aquela belezinha de armário do lado direito - com alta tecnologia?!
Os professores e alunos entram por aquele buraquinho entre os armários]


[Mais um pormenor da entrada - outra fabulosa instalação. É interessante, e até importante, que esteja exactamente onde está: todos nós, alunos, professores e funcionários teremos que passar mesmo ali - deste modo, seremos obrigados a ver aquela obra de arte.
É assim mesmo a Escola: para aprender e ter sensibilidade, é preciso olhar, olhar, mexer, sentir... E como se sente nas horas de entrada e saída!...]


[Mas oh!...lá lá... isto é que é tecnologia e bom gosto!
A Escola também deve ser para "educar" para a Arte, Beleza!... Contemporaneidades, diria o outro...]


[Quem disse que nesta nossa nova Escola os professores foram esquecidos? Aqui temos a sala de professores com toda a sua dignidade....]


[Isto é um frizo na sala dos professores - trata-se de um tapete de finíssimo pó de cimento (onde alguém colocou algumas marcas: gente sem sensibilidade, de certo!]


[Nem se esqueceram dos sofás da sala dos professores - também aí ficaram as marcas de todo o processo de reabilitação ....]



[Pormenores do cantinho do "bar" dos professores. Repare-se no cuidado: lá está o apagador de incêndios, bem arrumadinho, dentro da caixa!]



[Vários corredores da Escola, poucas horas depois de ter aberto as suas portas, têm este aspecto. O chão, sempre com a nossa nova "alcatifa" - uma simpática camada de finíssimo pó de cimento com muito cotão à mistura!]


["Casinha" de Professoras - como se vê, é quase open space -- e não há nada! Cuidadosos, estes meninos... não fosse alguma professora colocar uma bombita! Ai não!!!!
Pelo menos hoje não houve papel higiénico (mas também para quê, suas perdulárias?).
Não se consegue ver, mas o chão também está alcatifado com a tal camadita de pó....]


[Corredor de acesso aos gabinetes de DT's. A Escola está mesmo a dizer aos Pais e Encarregados de Educação: vinde, vinde! sois muito bem-vindos! Caixotes, lixo, pó e até impressoras em cima de papelões sujos -- é o que cá não falta.
E eu que julgava que dava aulas numa ESCOLA!!!!]


[Mais uma instalação - desta vez, na antiga entrada principal da Escola.
Tenho que estudar e ler muito sobre arte contemporânea.... há muita coisa que eu não entendo. E, pior,... falta-me sensibilidade!!!
De modo algum quero ser uma reaccionária... Deus me livre!... ]


[Haverá local mais motivador para estudar matemática? É a nossa sala de estudo de matemática...
Os caixotes têm que ter algum significado profundo... se não, porquê encontrá-los por toda a escola? salas, corredores, uns meio cheios, outros meio abertos, uns rotos, outros nem por isso - só é pena que escondam aquelas marcas de pó de cimento no chão! Assim é que vai ser aprender matemática!
Mas há outra coisa que me intriga: qual o significado do roxo? Os fios que estão pendurados no (do) tecto, assim como os enrolados no chão, são roxos! Que significará cor tão enigmática?]


[Descendo uma das escadarias principais, temos o privilégio de deparar com mais esta instalação. Isto são obras de arte por todo o lado -- é assim mesmo!...]


[mais um simpático pormenor no corredor... Questões de segurança, talvez.]



[TECTOS...
Imaginação ao poder: o que é/vai ser isto? projectores?
Só me intriga a falta dos tubos e fios na 2ª fotografia! Por que diabo será?


[A Educação pelo trabalho... E eu que pensava que Freinet era dos anos 70!
Este é o recreio dos alunos... Nos intervalos, sempre vão dar uma mãozinha...]


E quem é que ganha com isto tudo, quem é? A Visabeira, acredito que não é!

escrito por ai.valhamedeus

15 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

O "via Crucis" tem aqui matéria para mais de 40 páginas.
As sobras bem que podiam aconchegar o pó do cimento (e outros pós) e com uma cajadada, harmonizava-se a bota com a perdigota...

Anónimo disse...

Olha o que nos espera na nossa escola, está visto.

Anónimo disse...

E ainda dizem mal da Isabel da Perna Alçada

koisa Ruim

Amaral_911 disse...

Coisas que infelizmente não há comentários a não ser dizer que a escola está um autentico nojo.
a escola mais se aparece com um hospital ou com uma prisão.
O ar condicionado a deitar frio foi de rachar, até ao ponto de haver pessoas que ficaram doentes por esse motivo... mas enfim estamos na porcaria do país que estamos...

Ladybug disse...

A minha escolinha...

Anónimo disse...

ESEN (des)Requalificada!???

Haja decoro...

Desrespeito pela dignidade dos utilizadores de um espaço Educativo que em tempos se identificou como Escola Secundária de Emídio Navarro...

C disse...

Realmente, quem te viu e quem te vê :O

vitor m disse...

Ao que se está a passar na ESEN, chamo de (para mim não surpreendente...) resignação!
De todos! Desde o topo ao mais "humilde" utente desta escola...

Anónimo disse...

Entregar uma escola nestas condições é muito grave, mas aceitá-la é ainda mais grave!!! É deveras curiosa a resignação dos que lá trabalham e isso preocupa-me. De facto, temos de nos render à evidência de que há escolas de 1º e de 2ª.Mas seremos nós gente rasca? Nunca se viu tal degradação a todos os níveis...

Anónimo disse...

A nossa escola esta cada veez piooor.. Acho que deviamos fazer alguma coisa para parar com isto!! Nos merecemos uma escola como deve ser.. Merecemos uma boa educaçao!!!

Fi fi disse...

não consigo dizer mais nada para além de um "o que é isto?"
isto passa os limites do ridículo... inacreditavel, mesmo!
e pensar eu que, em tempos, tinha orgulho da escola que frequentei...que gostava daquilo... sim, nessa altura adorei.. porque a Escola Secundária Emidio Navarro foi (que pena este tempo verbal) um marca não só pelos bons momentos mas também pela beleza que tinha! Assim se perde toda a história de uma escola...

Não há maneira de transmitir a tristeza por ver tais imagens... fiquei até ao ultimo comentário à espera de ver uma frase a dizer que era brincadeira, que não era verdade...

:(

jóia disse...

que miséria de escola..até somos "obrigados" a trazer mantas de casa por causa do frio, pois a escola tem ar condicionado só para enfeitar, é uma vergonha!já se sabe que estamos num ano de crise, mas ter aulas nestas condições é um absurdo...nunca vi nada igual, isto nem parece uma escola, isto mais se compara a uma "prisão".
:(

Anónimo disse...

De um professor contratado...

Estes professores ignorantes que deviam estar a prestar um melhor ensino aos alunos, estão a perder o seu tempo com futilidades.

Vê-se mesmo que já têm a sua cadeirinha bem quente nesta escola. Se tivessem de andar de escola em escola e as mesmas tivessem condições péssimas (onde chove e tudo) não perdiam tempo com isto.

É graças a ignorância dos "velhos da guarda" que todos os professores da minha geração estão a sofrer.

ENSINEM AS CRIANÇAS TÃO BEM COMO NÓS!

toino do campo disse...

Ó professor contratado (supondo que és), é por haver professores (e outros portugueses que não o são) como tu (gente que acerta o tiro para fora do alvo) que os professores de todas as gerações estão a levar na pinha.

Anónimo disse...

Ao cuidado do anónimo "professor contratado"

Quase sempre somos o que dizemos; uma ou outra vez, também nos confundimos com o que escrevemos e, esta prosa, sem pretender atingir a arrogância do auto intitulado “professor contratado” diz muito do carácter [ou da sua falta] de quem escreve.

Retórica à parte:

São poucos os que se confundem com o que fazem: é preciso que decorra muito tempo e obra de mérito para que alguém seja reconhecido como professor ou mestre. Aqui, o imberbe “contratado” (será?), resolve confundir-se com o que faz (fará?), e não satisfeito, espalha lama e atributos menores para sítio nenhum. Ignorantes, futilidades? Mas, um “sábio” de tal quilate precisa de se esconder no anonimato do que faz? Só por uma única e simples razão: havendo na nossa escola tão lúcida personagem e correndo nós o risco de a perdermos, num próximo contrato (para outra das escolas “onde chove e tudo”), embora tenhamos os defeitos de que nos acusa, certamente teríamos muito a aprender com alguém com tantas “virtudes” e, sentados na “cadeireinha”, enquanto aprendíamos, espiávamos a pena de tanto termos feito sofrer os professores da geração do idiota.

São vários os erros de análise em tão pequeno texto: um contratado, muito menos um professor, a menos que tenha trocado a medicação, não comete o erro da generalização apressada, ou de chamar aos problemas futilidades; um contratado, muito menos um professor, a menos que alguns neurónios se recusem a fazer sinapse, devia saber que praticamente todos os professores, com mais de 30 anos de serviço, andaram por muitas dessas escolas onde (ainda) chove e faz frio!

Se é graças aos professores mais velhos que a geração do patati patatá, está a sofrer, aí dou-lhe razão: pelo menos no seu caso [tenho boas referências de outros], fomos demasiado condescendentes com a sua avaliação. Um conselho de cadeirinha: dedique-se a apertar parafusos, mas apenas dos que apertam no sentido dos ponteiros do relógio; ah! de um relógio analógico.

Se algum dia precisar de escrever, o que mais há por aí são textos bem escritos, basta que os descubra, escusa de fazer má figura. Já agora, evite ensinar; o seu perfil não é recomendável.

Como também não quer aprender nada comigo e a minha ignorância já foi decretada, mesmo sem me conhecer, fico na "cadeirinha" e da guarda, velho como sou, espero um anjo, [pode ser uma anja, para variar].