TRUMP(A)

A ESEN METE ÁGUA

Este é um corredor da Escola Secundária Emídio Navarro de Viseu, hoje. A imagem reflexa que se vê em primeiro plano é devida a água, que inundou parte do corredor. Isso mesmo: água. Água que veio de uma casa de banho. Isso mesmo: de uma casa de banho de uma Escola reconstruída pela Parque Escolar promovida pelo engenheiro Sócrates. De uma casa de banho inaugurada no início do segundo período: há uma semana.

escrito por ai.valhamedeus

12 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Vocês são mesmo "más línguas"!!! É porque está tudo sujo. É preciso limpar! Com água! Agora é porque há água... Pode ser que fique tudo limpinho.
Graça

jcosta disse...

Não é a primeira vez que o mensageiro (!?) paga as favas [como se ele fosse o responsável pelo que não corre bem].
É um desvio.
Às vezes, é uma cultura.
Quem dera que fosse o problema o centro das nossas atenções; assim saberíamos para onde encaminhar as nossas energias.
Mesmo com uma ponta de humor [deve ser por isso que quem manda, manda silenciar], assim como se fossem "más línguas"!
Estava a lembrar-me dos "bonecos do Contra" [que já fora] e dos "gatos" que pouco mais fazem do que anúncios a uma das empresas que mais nos explora!
Ironias, Graça!

Anónimo disse...

"de uma casa de banho inaugurada no início do segundo período"

Mas que culpa tem o arquitecto que a malta das terras de Viriato cague assim tão grosso???

Já é mania de dizer mal.
Têm uma escola novinha em folha e lá porque uma casas de banho verte para fora ums pinguinhas de nada vem todo este maldizer.

Porrium, bocês são dificeis de contentar

Qualquer dia têm aí os romanos à porta e logo quero ver!!!

Sertório

Anónimo disse...

É isso mesmo: "más línguas"
"Água que veio de uma casa de banho"- Qual é o mal? A água que iria tornar tudo limpinho,era apenas um (in)conveniente das novíssmas I.S (Aluno) e I.S.(Aluna).A vulgo casa de banho não oferecia estes requintes.
Vá lá, meninas da Esen. As I.S (Aluna) são apenas para retocar a "maquillage". Mais nada!
Viva a Parque Escolar! Palmas prá ESEN Re(des)qualificada

Cláudia disse...

A critica fácil ao trabalho dos outros.... quem não sabe do que fala deveria remeter-se ao digno e respeitoso SILÊNCIO.
A atitude é colaborar para corrigir o que está mal e agradecer por existirem novas instalações sanitárias que decerto terão melhores condições do que as anteriores.

Anónimo disse...

A Cláudia sabe do que fala porque, se não soubesse, tinha-se remetido ao silêncio que ela própria recomenda a quem não sabe. Mas logo a seguir acha que é preciso colaborar para corrigir o que está mal, para, depois, pasme-se, sugerir o agradecimento pela novas instalações sanitárias que, afinal (e ela sabe), terão melhores condições que as anteriores. Acontece que até estão mal planeadas: por exemplo não têm ralos para escoar a água em caso de acidente (como já aconteceu), dispositivo que existia nas anteriores! Ó Cláudia mais valia ter seguido o conselho que nos deu...

Joaquim Antunes disse...

Para o otário que respondeu á claudia, abra bem os olhos porque os Wc' têm ralos no pavimento, deveria seguir mesmo o comentário que foi dado

Cláudia disse...

Ó " Anónimo": claro que sei do que falo, e não necessito de me esconder como você fez. Obviamente que haverá erros a corrigir e REPITO agradecer por os alunos e professores da referida Escola terem mais e melhores condições de trabalho... Isto é: se quiserem trabalhar e não passarem mais um período sem aulas de Educação Física por alegarem falta de condições. Eu e o " Anónimo" e tantos outros alunos da minha geração (tenho 32 anos) tive aulas de educação física num pavilhão com más condições de facto e ninguém morreu por isso. Além disso considerávamo-nos privilegiados por ter as referidas aulas ao contrário dos alunos da escola secundária da localidade vizinha, que só praticavam desporto no campo descoberto quando o tempo o permitia. Eu sei que temos que ser exigentes para obter a " TODOS" os níveis cada vez melhores resultados. Mas é importante ter um espírito critico bilateral. Apontar os erros e valorizar os objectivos atingidos. Não se esqueça " Anónimo " que como você de certeza todos procuram fazer o melhor. Infelizmente nem sempre o conseguimos... mas somos todos. Cláudias, Anónimos, Joanas, Antónios, etc etc etc

Anónimo disse...

De otário para otário, para não degradarmos mais o nível da linguagem, quero dizer ao Joaquim Antunes (que é tão conhecido como qualquer anónimo, embora isso de nada importe) que, bem antes de se avanlançar no comentário – isso sim –, deveria ter olhado para a fotografia do post. Sabe porquê? Porque isso é um indício de que alguma coisa correu mal, em termos de escoamento. Enquanto descobre o ralo, que no dito WC não existe (também não existe porta-rolos, cabide e… espaço, se o Joaquim for rapaz aí para mais de 100K). Por isso deveria ter seguido o conselho da Cláudia, e já agora, leia uma espécie de engenharia para TOTÓS que a Independente em tempos, publicou. Ah!, a questão dos anónimos: sempre houve gente com especial predilecção para tratar dos mensageiros, quando as notícias não agradam. Vícios antigos. A resposta também serve para a Cláudia, que tem 32 anos e… toda a gente conhece.
Se quiser eu informo-a sobre o Bloco e o piso onde afinal só temos que agradecer por tantos extras nas Instalações Sanitárias.

Bom fim-de-semana

Cláudia disse...

Deixe-me só recordar-lhe novamente "Anónimo", ou devo dizer "Anónima". Que não me preocupa nada que saibam quem sou. Por isso mesmo é que deixei o meu nome verdadeiro. Mas importa também referir que o "anónimo(a)" disse uma grande verdade... e que tenho a dizer que foi uma observação notável...de facto a foto mostra água no corredor. Disso não há dúvida. Espero que já tenham resolvido a situação... Sabe é que estes incidentes infelizmente por vezes ocorrem... Lamento informa-lo(a).. ESTAMOS NO MUNDO REAL
Bom fim -de- semana

Anónimo disse...

Ó Clúdia!

Não havia necessidade. Recorde-se a menina (com nome verdadeiro) de como tudo começou:
- Escreveu que os comentários seriam (?!) uma “crítica fácil ao trabalho dos outros”;
- Depois, de modo superior e arrogante, acrescentou que os comentadores” não sabiam do que falavam”;
- A seguir, com o dedito nos lábios, fez chiu!, e gritando-nos, impôs “silêncio”.
- Deu-nos a seguir 2 conselhos: colaborar e agradecer. Tudo no mesmo post, recorda-se?
- Depois um amigo seu (também verdadeiro), veio aqui defender a “sua” dama, com artilharia pesada e uma educação de arrepiar.

Afinal, agora reconhece – e bem – que “estamos no mundo real”. Alelhuia, Cláudia! Era isso que estávamos a comentar, ou seja de como podem acontecer erros improváveis no mundo real e de como é preciso denunciá-los para que sejam corrigidos, sem azedume, sem desprimor na educação, sem gritar com as palavras (aqui todos vamos ouvindo bem) e respeitando o outro. Não se agaste com os anónimos. Mais de 500 pessoas morreram num desastre natural no Brasil, não sei quem eram, mas, creia, doeu-me o seu trágico desaparecimento.

Sorria, faça uma carícia a alguém que esteja por perto, deite um pouquinho de açúcar no (seu) sumo de limão e… apareça sempre.

Continuação de bom fim-de-semana.

Anónimo disse...

Peço desculpa, no post anterior grafei, de modo errado, o seu nome: Cláudia, assim é que é.