TRUMP(A)

A CLASSE POLÍTICA

Parece que alguém já contabilizou a classe política portuguesa. Serão pouco mais de um milhar.

Conheço alguns dos nossos políticos. São os mesmos, há muitos anos. E são pouco. Saracoteiam-se de um lado para o outro
(não quer dizer de partido para o outro, ainda que muitos tenham essa apetecência...).
São sempre os mesmos e, quando o povo os vota ao ostracismo, rabeiam.

As últimas eleições presidenciais deram para ver a agitação que vai neles. O "apolítico" do Cavaco ficou insatisfeito com a fraca ida às urnas. E os outros, também. O povo está-se borrifando e isso não satisfaz a classe política. Mas, por outro lado, não quer que o povo se interesse. O que eles querem é que o povo vote, mas não participe nem se interesse por outras formas de participação colectiva. Já o digo há muito.

Quanto à Assembleia da República, há muito que digo que deve funcionar como uma sociedade por quotas, uma vez que os deputados têm pouca autonomia. É óbvio que isto é uma caricatura, mas apetece defender...

A maior "derrota" do 25 de Abril, para mim, foi precisamente a fraca participação nossa nas decisões colectivas e ter deixado isto à mercê da canalha.

escrito por Carlos M. E. Lopes

0 comentário(s). Ler/reagir: