TRUMP(A)

O PC CUMPRE

Já sabíamos que a direita oficial
[há uma direita oficial, a que se situa, oficialmente, à direita do pê-èsse; a verdadeira direita inclui mais o pê-èsse],
dizia eu que a direita oficial, ultimamente, admite a presença do PCP num eventual futuro próximo governo. Disse-o, há tempos próximos, Bagão Félix:
Há uma solução que é um governo PSD, CDS, PCP. Uma ideia "provocative". Não estou a dizer que pode vir a acontecer, mas nós precisamos de abanar a cabeça senão morremos atrofiados. É quase impossível chegar a acordo com o PCP, mas, se alguma vez se chegar a acordo, este será cumprido. O PCP é muito respeitador, institucionalista. Não é a fantasia do Bloco de Esquerda.
A mesma ideia foi admitida hoje, na TVI, por outro direitista-oficial: Santana Lopes. Com o mesmo argumento: o PCP cumpre o que promete.

Bem... isto é sintomático. De quê?, perguntaremos. Sintomático de algo que não abona nada a favor do PCP. O Carlos Lopes já defendeu neste blogue que o PCP é o único partido social-democrata português
[mas social-democrata a sério]:
talvez a direita oficial se tenha apercebido, finalmente, disso
[vai sendo tempo de o pê-èsse também se aperceber: afinal, não foram os sindicalistas do PCP a apagar o fogo que os professores puseram na rua, com as grandiosas manifestações de que já nem parece haver memória, nestes tempos pós-2º acordo Sindicatos-Ministério da Educação pê-èsse?]
escrito por ai.valhamedeus

9 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Cumprir o que se promete é fazer apenas o que deve ser feito, nem mais nem menos... os cumunas como homens de boa vontade, só lhes fica bem cumprir... coisa que os socialistas, mais especificamente o ilusionista Sócrates, nunca fez, não faz, nem fará... outra coisa seria de admirar no comportamento de um "trafulha".
O problema não é cumprir: é que os ideais comunistas já foram testados e rejeitados em todo o mundo. Onde vigoraram, com a sua economia planificada e a igualização de todos, criaram sociedades amorfas e indivíduos desinteressados... em consequência o progresso nesses espaços foi o que se viu... só os indolentes e preguiçosos se empenham efectivamente pelos ideais comunistas, que são bons, reconheço, mesmo sendo eu conservador liberal, mas não se adaptam à natureza humana, que é dinâmica e não estática, egoísta e não colectivista, disposta ao confronto e não à assimilação de cartilhas pré-definidas...
os comunas são pessoas boas e empenhadas no bem público, com certeza que sim... mas a sua ideologia depressa igualiria os bons aos maus e efectivamente decretaria uma sociedade onde todos vivessem num T2, usassem uniforme e tivessem disponível um dinheirito de bolso para tabaco e bilhar... Portugal não melhoraria, regridiria... lembro que o comunismo teve tempo de mostrar a sua bondade e o resultado foi o que se viu... isto não é teoria, são factos e contra factos, não há argumentos...

Anónimo disse...

E sem o cumpridor PC é o que se está a ver...progresso, bem-estar para todos,saúde e educação, pão e vinho sobre a mesa...Um país de cidadãos dinamicíssimos, eu sei lá...

toino do campo disse...

"eu sei lá"?! sei eu:

com uma ideologia que não iguala os bons e os maus, temos um país onde nem todos têm um T2 (há quem tenha um t-1000 e muitos que têm um t-nada), nem todos usam uniforme (há quem se vista com roupa da loja de Beverly Hills e muitos que se vestem com trapos que encontram no lixo), nem todos têm dinheirito de bolso para tabaco (há quem tenha dinheirão para charutos e muitos que têm o que a caridade dá à mão estendida)... e Portugal tem melhorado assustadoramente.

É mesmo isso: factos são factos e não há argumentos que desmintam o que se observa todos os dias. Vivam as sociedades dinâmicas e egoístas!

Anónimo disse...

E há outros, muitos outros que querem trabalhar e não podem porque estão os lugares ocupados pelos proletários de sempre... isto é uma falsa conversa. Nem todos querem trabalho, apenas querem emprego que é coisa diversa... e no emprego querem direitos... para fora olham como instalados para toda a vida e "merecedores" dos lugares. os outros que se lixem...
Basta ver com esta péssima atmosfera e com estes cortes avassaladores aquilo que se passa... onde trabalham os comunas, greves, greves e mais greves... tanto quanto eu sei, as mesmas não são pagas por ninguém. em consequência quem já está mal, pior fica... e quem lá não está ou precisa dos serviços, fica sem menos ou quase nada... ou pensam que as greves prejudicam os homens dos charutos e das roupas de marca?
A política é: a cada um de acordo com o seu trabalho, se não trabalha, deve deixar o lugar para outro.
O problema não está nos ricos mas sim nos governos que não sabem administrar e distibuir a riqueza deixando que quem tem ideias as ponha em prática, que quem trabalha seja pago pelos seus méritos, que quem não quer trabalhar d~e o lugar a outro, sem indemnizações, nem compensações... o tempo não volta para trás onde o chamado comunismo falhou rotundamente e ewm consequencia foi rejeitado pelo povo... mesmo entre nós no pós 25 abril, os proletários, partiram e repartiram o alentejo, em consequência, empobreceram todos e para não morrerem à fome tiveram que devolver a terra aos donos para que a administassem e eles pudessem sustentar as vidas.

Anónimo disse...

O discurso deste último anónimo está tão embrulhado como o futuro do país

toino do campo disse...

Ó caro/a anónimo/a, um pouco de coerência e rigor não fazem mal a ninguém -- nem a si. ;-)

1. Disse que os "ideais comunistas" são para "indolentes e preguiçosos"; que nas sociedades comunistas as pessoas teriam a tal vida que me abstenho de caracterizar novamente;

2. Supõe-se (do seu discurso) que nas sociedades não comunistas a coisa é diferente;

3. Portugal é o que se sabe: os tais T2 para todos, sem o tal dinheirito no bolso...

4. Parece concluir-se daqui uma de duas: a) ou Portugal é um país (menos que) comuna (porque nem tem o que os comunas teriam); b) ou afinal o capitalismo não é muito melhor que o comunismo;

5. Mesmo admitindo que tem razão quanto ao que se passou na reforma agrária e no resto, lembro-lhe que os partidos que têm desgovernado Portugal nas últimas décadas são tudo menos comunas.

Vá lá! não tente aldrabar o discurso, porque não pega...

toino do campo disse...

3. (faltou "sem"): "sem os tais T2 para todos"...

Anónimo disse...

ideologicamente poderíamos dirimir argumentos até pelo menos o ano que vem, mas não vale a pena. os comunistas montaram os seus governos, implementaram a sua ideia de sociedade, quiseram fazer uma sociedade igualitária... falharam redondamente porque, quer gostem ou não, a natureza humana é egoista e os indivíduos são isso mesmo, INDIVIDUOS, ou seja não estão dispostos a que não lhe reconheçam os seus méritos e que distribuam irmamente aquilo que pelo querer e capacidade próprias foram conseguindo... já que é só virtudes da ideologia comunista, porque é que esses estados ao longo de décadas, não "descobriram" a internet, nem a google, nem a microsoft. nem a Sony, Nintendo e por aí fora... contudo acham pecado que aqueles que mais contribuem para o progresso tenham direito às mais valias... Já que é só virtudes na virtualidade comunista, porque é que os trabalhadores não criam empresas, não as tornam rentáveis e não distribuem entre eles e de igual modo, os lucros? porque é que querem que o estado continue a pagar-lhe os ordenados e as regalias mesmo que as suas empresas só dêem prejuízo - CP - Refer, Metro Lisboa...? de certo modo podemos concluir que os comunistas mais que produzir querem apropriar-se das mais valias do trabalho alheio. acham que o simples facto de existirem, os deve tornar iguais a todos os outros, mesmo que não tenham as mesmas capacidades, mesmo que não se queiram esforçar pela obtenção desses bens.
quanto a Portugal é verdade que é um país muito desigual e quase miserável, mas basta comparar os tempos actuais com três ou quatro décadas atrás e "apontar" as diferenças... e comparar por exemplo com o estado comunista de Cuba onde perdura a ideologia comunista, pelo menos por agora...

vitor m disse...

Para trabalho igual, salário igual - se isto é comunismo, eu sou comuna.
Se comunismo é sinónimo de ditadura da nomenklatura (do ex-Leste ou de Cuba), então não sou Kmuna...
Há ainda outro tipo de sociedade com que antipatizo profundamente: o capitalismo clássico ou neo-liberal, à sócrates ou à coelho...