TRUMP(A)

OS COPIANÇOS

Acho imeeeensa piada

[como cidadão e como professor]
aos discursos moralejos contra os candidatos a magistrados que copiaram. Por várias razões:
  1. mal anda um país onde isto se transformou em notícia com destaque recorrente e com personalidades de culto social a pronunciarem-se sobre;
  2. gostava de ter ouvido estas personalidades a pronunciar-se sobre um outro personalidade que se licenciou ao domingo... e tal... e o resto;
  3. os testes de avaliação são, de certo modo, um jogo-quase-batalha, onde a moral não é regra. Se o fosse, não tratariam os professores de tentar evitar a fraude. Porque o não é, não há estudante que evite a fraude por razões morais (poderá fazê-lo por medo ou por razão parecida);
  4. por isso, copiar ou não copiar não é critério para decidir do carácter moral dos "formandos que futuramente irão desempenhar funções em que a moral e a ética são valores essenciais";
  5. quando, futuramente, estes candidatos transformados em profissionais precisarem de resolver problemas relacionados com Investigação Criminal e Gestão de Inquérito, não poderão recorrer a cábulas -- e até à ajuda dos colegas?;
  6. um teste que permite o copianço é, à partida, um teste mal feito -- ou um teste aplicado com uma logística mal pensada.
Num país com o nível de desemprego que se conhece, com as ameaças mais do que certas na degradação do nível de vida, estes acontecimentos estão, em importância, ao nível dos picnicões publicitários de hipermercados que justificam que se feche uma avenida de grande trânsito de uma capital. Estamos feitos!...

escrito por ai.valhamedeus

4 comentário(s). Ler/reagir:

toino do campo disse...

Veja-se a que exageros se está a levar isto: "Eis uma das razões pelas quais a Justiça é um dos maiores entraves ao desenvolvimento do nosso país. Talvez as mudanças previstas no memorando da “troika” devessem passar também pelo Centro de Estudos Judiciários"

(da Rádio Renascença: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?did=160779)

Ai, meu Deus! quem põe cobro ao estes entraves ao desenvolvimento do pensamento crítico?

jcosta disse...

Estão encontrados os suspeitos!
E... isto NUNCA mais volta a acontecer: No CEJ, acabaram os testes com cruzes (canhoto).

Em Paris, a Sorbonne também vai abrir ao domingo. Já perceberam porquê. Ah! para as dissertações, também vão ser admitidos os telepontos.

jcosta disse...

Os estudantes da Sorbonne que se cuidem; o risco de encerramento da universidade, daqui a um ano, é bem real.


Entretanto, no rectângulo, Mário Soares, o homem com a opinião mais versátil do país, apesar da proveta idade, saúda, na "Visão" do Chita(s), a saída voluntária de JS como um “acto de bom senso”, afirmando que este “abriu a porta a dois candidatos a líder que têm a vantagem de ser pessoas inteligentes, experientes e honestas”.

MS não perde a oportunidade de se descartar do vencido e de se aliar, de imediato, ao vencedor, seja qual seja!

Pena que na propaganda eleitoral em que participou (em que até os pavilhões encolhiam), não tivesse a lucidez que agora se apossou da sua toleima. Sobrevivência?

Anónimo disse...

É a vidinha deste povo esforçado mas que deve a sua condição de indigente ao desencarrascanço.
conforme o vento soprar assim nos deslocamos para cá e para lá... o futuro não é coisa que assuste os portugueses... os que estão vão-se desenrascando, os que vierem logo se verá... são muitos séculos de história a repetir os mesmos erros, é mu~ita experiência acumulada para agora não a aproveitar... viva o povo português