TRUMP(A)

EX-CITAÇÕES * 105. os portugueses no mundo

A música antiga portuguesa é desconhecida mas ilustre e o prestigiado Festival Laus Polyphoniae escolheu-a como centro da sua 18ª edição, que decorreu de 20 a 28 de Agosto em Antuérpia.
(Já lá estive, e recomendo a praça da Câmara Municipal).
Neste 2011 em que se passam 750 anos do nascimento do Rei Trovador, D. Dinis, e 350 da morte dum dos nossos maiores polifonistas, João Lourenço Rebelo, é fora de portas que se celebra condignamente o património musical português do passado.

… A programação completa está, ou esteve, em www.amuz.be/en/programma/lauspolyphoniae. ...

… Bart Demuyt, director artístico do festival, acredita que irá conquistar o público e diz que:
um festival que não corre riscos não é um bom festival.
A jornalista indagou:
Procurou que os concertos reflectissem as relações entre a música dos dois países?
Sim. O concerto de abertura evoca a boda de Filipe o Bom e Isabel de Portugal, em 1430, celebrada com pompa, festividades e muitos concertos na chegada a Bruges. Faremos uma espécie de reconstrução contemporânea da cerimónia.
Foi a resposta.

E eu que já estive em Bruges 2 vezes: a 1ª num dos momentos mais felizes da minha vida, irrepetível, e a outra para mostrar à minha filha onde a mãe fora feliz, mas não com o pai dela, recomendo Bruges. Vivamente!

escrito por Gabriela Correia, Faro

0 comentário(s). Ler/reagir: