TRUMP(A)

AS DELÍCIAS DE CAVACO

Há quem se diga surpreendido com as lamentações do sr. Escusa, relativas às suas pensões e às dificuldades económico-financeiras com que faz face às suas despesas. Só se pode surpreender quem se não lembrar do passado do sr. Escusa. Seja o exemplo deste episódio:



escrito por ai.valhamedeus

5 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

E pensar que me tentaram convencer a votar neste senhor, por ser o mais honesto dos candidatos! Bahhhhh!

Gabriela

Anónimo disse...

Nasceu um novo blogue em Faro. Vai dar que falar.

faroactivo.blogspot.com

Anónimo disse...

e que fez este portuga, o presidente, diferente de todos vós?
Vejamos: decretaram cortes, os polícias queixam-se de que para eles não deveria haver, os bancários fazem o mesmo, os professores seguem-lhes os protestos, sendo acompanhados pelos médicos, enfermeiros e restantes afectados... Há que ajustar os preços dos transportes ao seu verdadeiro custo, bem como contribuir mais para os serviços de saúde (taxas moderadoras) e introduzir o princípio do utilizador pagador nas ex sctus. E que fazem os portugas? uns que não, ganham pouco e devem os impostos dos outros continuar-lhes a pagar os transportes, em todo o canto e esquina os serviços de atendimento permanente devem continuar 24 horas dia, 365 dias anos a alimentar 3 ou 4 profissinais da saúde, mesmo que passem o tempo sem nada fazer e o sono da noite lhes seja altamente rentável, pois a qualquer hora, um qualquer cidadão pode sentir uma indisposisão e mesmo que a primeira opção seja dirigir-se à urgência mais próxima, convém ter ali o pronto socorro para o que der e vier. O utilizador pagador nas ex scuts, sim, mas não para os automobilitas de Viseu, Guarda, Faro, Portimão... uma vez que já estavam habituados a que o restante país lhes suportasse as despesas das vias que usavam e deviam desde o início - respeitando o princípio da igualdade - serem pagas tal como o equipamento semelhante...
Agora vem o sr Cavaco, que como reformado viu os seus rendimentos serem cortados... e que fez ele??? tal como todos vocês deu a entender que deviam cortar aos outros, não a ele. Ou seja, mostrou o sr, tal como todos vós, o seu grande portuguesismo: a coisa está má, são necessários sacrifícios que implicam cortes salariais e outras regalias, mas que tirem aos outros, não a mim. O que é que não entendem deste comportamento se todos vocês têm o mesmo discurso?

Anónimo disse...

O que é que você sabe de argumentação lógica e objectiva, ó estrangeirado/a?
Devia aprender com quem sabe. As suas premissas estão todas erradas, sabia?
Zé do Telhado, portuga orgulhoso

Anónimo disse...

Ai estão? não sabia. mas se calhar sua excelência também não as sabe compor.
Na minha ignorância posso apenas dizer-lhe que contra factos não há argumentos. e se quiser que passe o ano todo a demonstrar aquilo que digo, estipule um vencimento que farei o favor de o esclarecer caso a caso.
Infelizmente o portuga anibal como o senhor e demais amigos, clamam contra a crise - mesmo conscientes que muito contribuiram para ela -, mas querem que sejam os outros a pagar.
Portuguesismo mais bacoco e salazarento é difícil de encontrar.