TRUMP(A)

Tirania eletiva

O atual governo português tem tiques não democráticos.
Assim inicia o texto Tirania eletiva d'O meu baú, que refere alguns comportamentos indicadores dessa falta de democracia e pretende distinguir tirania, democracia e tirania eletiva.

escrito por ai.valhamedeus

2 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

pois tem. e os outros também. o sr Holland, ao que parece, em três ou quatro dias também já quebrou uma série de promessas, o mesmo tinha feito obama e hão-de fazer outros... da esquerda, do centro e da direita... para ganhar vale tudo, para executar só o que é possível...
gastar é fácil para todos. amealhar para gastar, nem por isso...
estar á espera que outros paguem o que nós devemos não é um acto nem de grande coragem, nem de grande independência. é apenas o início de uma progressiva perda de liberdade a todos os níveis e o antecipar de uma futuro governo mais ou menos totalitário.
s m

Ilda Ribeiro disse...

Há diferença entre as eleições de 1969 e as de agora:
Em 1969 - só tinha direito a votar parte da população (não era não ir votar por falta de interesse....era porque não tinha direito de voto)
Em 1969 - não havia discussão política em que cada um podia dizer de sua justiça, a voz ouvida era só uma - a do governo-
Em 1969, sabíamos que se não estivéssemos de acordo íamos "dentro"
Em 1969, "ir dentro" significava para além de estar "dentro" éramos torturados
Em 1969 o governo não ia abaixo nem antes, nem nas eleições, havia eleições e ficava sempre o mesmo
Agora......
o governo sabe que pode ir abaixo durante a governação ou nas próximas eleições
embora prepotente, incapaz e incompetente (para muitos de nós) trilhando caminhos económicos que favorecem uma minoria são o "nosso" retrato esperemos que assim como "nós" vamos melhorando no dia a dia também sejamos capazes de os fazer mudar,
porque,
a maioria de "nós" (não falo de eu, tu, vós, eles mas de Nós....) é prepotente e profissionalmente competente somente quando a isso é obrigado, os serviços de excelência deviam ser a regra mas são a excepção
Os líderes que temos são o retrato do país que temos do que somos..... Não basta elegê-los é necessário vigiá-los, motoriza-los, avaliá-los em suma ser interventivos e não: - disseram que faziam agora façam que "nós" ficamos aqui no nosso canto...lembra-me aquela frase célebre "Não perguntem o que a América pode fazer por Vós , perguntem o que podem fazer pela América"
Somos muito infantis...muito queixinhas.....talvez porque temos pouca experiência de democracia a democracia constrói-se e não se vota e já está...............