TRUMP(A)

rapinados 23. AS TETAS DE SOARES DOS SANTOS



O senhor Alexandre Soares dos Santos, presidente do grupo Jerónimo Martins, é, para além de gestor, um expert em assuntos relativos à arte de "mamar nas tetas do Estado" e um prestigiado pedagogo das manifestações de rua.

"Sou a favor de manifestações que tenham conteúdo. Que no fim da passeata apresente alguma coisa. Não é com Grândolas Vilas Morenas que a gente resolve nada" – defendeu, durante a apresentação dos resultados da empresa em 2012. Pois não, é a levantar vinte euros no multibanco de cada vez que queremos gastar vinte cêntimos no Pingo Doce. Isso sim, é luta.

Ninguém estava à espera que a Jerónimo Martins anunciasse os resultados líquidos de 360,4 milhões de euros referentes a 2012 ao som de música de intervenção. Agora, seria expectável, até aconselhável, num ano em que quase todos os portugueses saíram a perder, que um (dos poucos) que saiu a ganhar – milionário – tivesse algum decoro ao falar de assuntos que lhe passam ao lado.

Com lucros destes, muito português guardava os vinis do Zeca Afonso no baú, pendurava a boina e ia viver para um paraíso qualquer. Fiscal ou não. Daqueles em que a sede do banco é uma cabana de colmo, o céu é azul, o mar é quentinho e onde até as palmeiras sorriem.

Não satisfeito, Soares dos Santos decidiu dar mais um conselho aos pobres. Aparentemente, também especialista em subsídios, provavelmente pelas muitas horas passadas à porta da Segurança Social,   afirmou o senhor que "andamos sempre a mamar na teta do Estado". "Porquê, porquê?" – questionou indignado, quase irado, como se alguém lhe estivesse a ir ao bolso.

Ora bem, a propósito de "passeatas" e de "mamar do Estado", recordo a Soares dos Santos as seguinte notícias:

"Soares dos Santos muda participação na Jerónimo Martins para a Holanda – Os 56% que a família Soares dos Santos detém na Jerónimo Martins, dona da marca Pingo Doce, passaram a ser controlados indirectamente, através de uma sociedade com sede na Holanda. A operação deverá estar relacionada com o agravamento da tributação fiscal (...)". "Soares dos Santos garantiu que não tinham sido os impostos a levar a empresa para a Holanda. Admitiu, contudo, que poderá ter vantagens fiscais no futuro devido a esta alteração da holding que detém acções na Jerónimo Martins."  (Expresso e Negócios Online)

Infelizmente, hoje em dia, nem todas as famílias podem tomar "opções". Continuam, em desespero, a ser ordenhadas pelo Estado até o leite sair em pó. Enquanto isso, os de sempre, com as tetas bem sedeadas na Holanda ou noutro país qualquer, para fugir à sede (e à sede!) do Estado português, que assim não pode mamar o doce pingo delas como desejaria, estão, a cada dia que passa, mais "afortunados" e, principalmente, mais moralistas e hipócritas.

[Tiago Mesquita in Jornal Expresso]


escrito por Gabriela Correia, Faro

2 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

A coisa com o sr santos é má, mas imagine que ele, o sr azevedo, o sr amorim... fecham as portas... e junte a multidão que depende da iniciativa deles - do trabalho que eles arranjam - ao desemprego que os políticos fomentam...
no entanto estes senhores não se podem pronunciar sobre nada, os políticos - promotores da nossa imensa desgraça continuam a ser muito bem pagos pelos contribuintes e a gerar miséria em catadupa... caros críticos e que eu saiba a multidão dos políticos chupistas não se resume ao sr coelho e aos seus auxiliares, a maior parte dos quais, aliás, só perde dinheiro no governo... peça a cada político e a cada membro da sociedade civil indignado com as palavras do sr santos que lhe responda à letra: CRIANDO PELO MENOS UM POSTO DE TRABALHO. Infelizmente o tempo não é de falar, mas sim de fazer...

Anónimo disse...

Isso deve Vª Excia dizê-lo ao jornalista Tiago Mesquita. E, já agora, leia melhor o texto que ele escreveu!