TRUMP(A)

O PESADO FARDO DE SAMPAIO

Defender que o dinheiro é coisa sem importância, quando se o tem em abundância -- defender isso é canja. Dito de outro modo, é canja defender a inevitabilidade da fome, quando se tem a barriga cheia.


O ex-presidente da república Jorge Sampaio, no mais genuíno estilo do pê-èsse
(que já se imagina a governar, vale dizer, a malhar-nos como o fez Sócrates e o está a fazer o senhor dos Passos),  
acentuou hoje que Portugal tem um "pesado fardo"
(«Temos um pesado fardo em cima de nós, convém ter essa noção») 
e que, em consequência, há que combinar "a indispensabilidade do crescimento com aquilo que tem de ser o rigor das contas".

Este rigor é o paleio que a gente sabe muito bem aonde vai dar. E é por saber disso
(e por não esquecer as mordomias que Sampaio tem por ter sido presidente da república)
que me apetecia escrever-lhe uma carta aberta que começasse assim:
"Olhe lá, seu %$#/())=!, porque é que não prescinde dessas mordomias, seu choramingas do camano!"

escrito por ai.valhamedeus

7 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Até dá raiva!No further comment.
Gabriela

Anónimo disse...

Ora aí está - são três ex presidentes e um a caminho - todos a berrar contra cortes e austeridade. Todos muito ricos - ao que parece. todos sem necessidade de acumular com as reformas que não são parcas, as muitas mordomias que os portugueses pagam com os seus impostos - vários milhões de euros. pelos vistos até o sr eng Sócrates o tal que nos levou á bancarrota - vai palavrear a uma estação pública falar contra a austeridade e para lá de tanta falta de vergonha ainda se diz que leva com ele cinco polícias pagos pelos nossos impostos. A juntar a estes outros que clamam contra cortes como o sr Capucho - que parece que aufere uma das "melhores" reformas políticas, tal qual como o sr Bagão ou a sra Ferreira Leite o que é que nos resta dizer. e os autarcas o exército que se reforma e o outro que nos vai continuar a arruinar - 3 e muitos municípios num país onde bastavam 3o...
suponho que se diz "bem fala frei Tomás" e todos estes bem falam, mas pouco agem em prol do bem comum - agir era de facto ser coerente: prescindir pelo menos das mordomias. mas a gente já percebeu que são direitos adquiridos, constavam no contrato feito com o Estado.

Anónimo disse...

Mas faltou-lhe pôr na lista os nababos do BPN, os salários de 63 colaboradores do gabinete de Passos Coelho, todos acima dos 2.500 euros, as swaps, os contratos ruinosos com as PPPs (sabe, os cortes nos salários dos funcionários públicos foram direitinhos para os cofres das rodoviárias, coitadinhas que ficaram com lucros muito abaixo dos lucros exorbitantes que os advogados e gestores deles negociaram com o Estado), as prestações de serviço das câmaras com privados, os salários de 16 gestores que igualam os de 36.000 funcionários públicos, a fuga legal (pasme-se) aos impostos de empresas portuguesas que estão sediadas na Holanda, e que ascende a 150 mil milhões de euros, mais do que o orçamento total da UE, etc. etc. E o que mais a seu tempo saberemos. Ou não!
Gabriela

Anónimo disse...

Tem razão. e quantos outros podíamos ainda somar. Mas o povo parece gostar por isso é que andam com as bandeirinhas e nas almoçaradas a preparar mais um "assalto" ao pouco dinheiro que os portugueses vão angariando. Viva o povo, pois tal como a cantiga diz É o povo quem mais ordena

Anónimo disse...

Não confunda o povo com a malta das jotas e os que acompanham os candidatos. E é o povo quem mais ordena, sim. Se for esclarecido e souber votar. Mas para tal seria necessário todo um trabalho que os partidos do poder impediram e/ou querem continuar a impedir.
Mas, quiçá, tenham uma surpresa.
One never knows

Anónimo disse...

olhe que só as jotas e os filiados e afilhados não chegam para a vitória.
apesar de tudo o voto é livre e tanto faz votar nestes ladrões como noutros que irão para lá fazer o mesmo. uns tiram por um lado, outros por outro. basicamente todos os partidos são muito maus - um bando de oportunistas.
não conte com surpresas que o povo também não é burro de todo e entre escolher migalhas ou miséria, preferirá sempre as migalhas.

Anónimo disse...

Olhe que sim, olhe que sim! Eles são tantos!