TRUMP(A)

PARA A MINHA AVÓ MÃE

para a minha avó mãe pessoa de todos nós


avó máxima do máximo de tudo na vida
o amor maior dos amores por tudo existente à sua volta e para lá de si.
a avó mais terna mais criativa mais inventiva jogadora de cartas ao peixinho na ilha da nossa infância. observadora de aviões de quantos passam lá no ar "16 hoje!" de estrelas de luas e de mar
"já viste, isto é um milagre, como é que conseguimos estar aqui a boiar ao de cima da água. isto só pode ser deus nosso senhor!"

sim avozinha, deus nosso senhor é boiar no mar e tu encarnada nele.
tu que nunca conheceste limites nem limitações só acreditar acreditar fé e acreditar num sem fim inacreditável de amor que és tu. porque deus é amor. e tu és Ele. porque estás acima de qualquer pecado materialista humano ou mesquinho porque te elevas por cima disso tudo e ficas a observar lá de cima ou cá de perto as nossas trocas e os nossos passos sem entender porque temos tanto medo.

que saudades de te ouvir deslumbrada com a natureza com a tecnologia com os desenhos animados "como é que eles fazem isto? olha o boneco a mexer! ai que coisa engraçada!" e a contares pelas quinquagésima vez a história do rapaz dos óculos que não quiseste como pretendente porque poderia passar para a família e de como depois logo a tua primeira filha precisou duns óculos. De como não devemos rejeitar as pessoas por essas coisas e de como tudo na vida tem um retorno e que nada acontece ao acaso.

não há medo para ti. não há nem nunca pode haver limites para a tua grandiosidade. se entendermos que sempre e só foste feita de amor a nossa vida não fica em vão.

sei que és maior do que o corpo físico que agora largaste mas o meu coraçãozinho ainda tão humano e tão poucochinho divino está apertadinho até ao âmago do ser. queria ver essa tua cara grande quase imaculada de rugas e impregnada de ternura mais uma vez. queria assistir à tua despedida com todos aqueles que também te amam e admiram e para os quais foste sempre tão generosa.
até imagino animais em torno de ti, e passarinhos e borboletas e cães e gatos e camaleões nos teus braços todo o dia na bela ilha da fuzeta.
e imaginar-te mais uma vez a dares as migalhas do pão diário aos passarinhos e de contares dos feitos milagrosos da rainha santa isabel para os pobres .. e tantos passarinhos tantos.. ai que saudades

que o que nos ensinaste em vida a sempre amar a sempre perdoar a sempre acreditar nos sirva de inspiração.

vai agora avó mãe sogra amiga irmã filha anjo mais nobre de deus vai em paz para o descanso merecido

"já viste, estar lá no alto a voar assim. ai como era a coisa que eu mais gostava.. de voar !"
Maria Máxima Guerra*

[mariana. Mais informação sobre a avó mãe Máxima]

0 comentário(s). Ler/reagir: