TRUMP(A)

SOU MAIS FELIZ DO QUE O PASSOS COELHO

O troiko Passos Coelho é um coitadito: pode pagar ou não o que deve, que nem a Segurança Social lhe liga peva. Mas a mim, não: basta eu atrasar-me uns diitas no pagamento -- e logo aproveitam o pretexto

(puro pretexto, nada mais, para a vontade de me escreverem) 
para me enviarem uma cartinha com a lembrança da dívida acrescida de uns acrescentos.



Até o SMAS de Viseu
(agora, com o novo nome de Águas de Viseu),
para fazer jus ao slogan publicitário de que, em Viseu, é tão fácil pagar a água como bebê-la. E é, como se prova a seguir.

Recebi uma carta daqueles serviços, informando-me do não pagamento da última fatura da água. Há anos que pago a água por débito bancário direto; a razão do não pagamento deve ter sido causado pela troca de banco. Confusão de não sei quem -- mas isso, aqui, não interessa. O interessante é que
  • a carta tem data de 25/fevereiro último;
  • recebi-a, hoje, 10 de março;
  • nela sou avisado de que tenho que liquidar a minha dívida até às 17 horas do dia de hoje;
  • ao valor da fatura acrescem juros de mora e o valor da tarifa de restabelecimento.
Confesso, publicamente: sou um felizardo. 
  • Por felicidade, recebi a carta às 11.30h da manhã (fosse eu infeliz, e recebê-la-ia no dia seguinte).
  • Por felicidade, foi-me possível ir à tesouraria liquidar o que me disseram que havia para liquidar.
  • Por felicidade (deles), paguei o restabelecimento de uma ligação que não foi cortada, no valor de mais de 5€.
  • Por felicidade (deles), paguei juros de mora de quase 10% ao mês.
  • Por felicidade, foi tão fácil pagar como beber a água: até aceitaram o pagamento por multibanco.
Digam-me lá, agora: sou ou não mais feliz do que o troiko do Passos?

Nota final: e porquê tanta felicidade? Porque os smas de Viseu têm uns serviços usufruidentos. Cito, daqui:
Temos serviços que poderá usufruir on-line em vez deslocar-se ao nosso balcão.
escrito por ai.valhamedeus

1 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Pois é amigos. Aí está o Estado que tanto admiram: a sacar, a sacar por tudo que mexa e lhes passe pelas mãos.
as clientelas são muitas e há que mantê-las felizes. Muitas vivas ao Estado.