TRUMP(A)

DA JUSTIÇA ARGENTINA

São duas notícias da justiça argentina:

1)

Duas mulheres lésbicas que solicitam na justiça ser casadas. Em Buenos Aires existe uma "União Civil" entre pessoas do mesmo sexo mas não é casamento, já que para isso é preciso uma lei federal e tem que ser aprovada pelo congresso nacional.

Por isso as duas mulheres apresentaram um pedido de casamento e disseram que estavam sendo discriminadas para se casar. O caso chegou até à Corte Suprema de Justiça (a mais alta instância dentro da Justiça Argentina) e agora os juízes da Corte Suprema solicitam ao congresso que dite uma lei que permita isso.

Já que ao impedir o casamento entre pessoas do mesmo sexo estão sendo discriminadores.
Todo o artigo aqui.

2)
Outra da Justiça Argentina mas que dá algum medo..
Uma juíza de primeira instância determinou que Google e Yahoo deverão pagar a uma pessoa porque ao procurar seu nome nos motores de pesquisa aparecia ligado a sites pornos e de prostitutas.

O caso é simples: uma estrelinha da televisão local achou com os motores de pesquisa que seu nome estava numa página de prostitutas, ela começou um processo para que os buscadores retirassem essas páginas.

Até aí tudo bem, todos temos direito a não ser caluniados; mas o insólito é que pediu que Google e Yahoo pagassem uma indemnização por danos morais...

E a Juíza acedeu
[é o que se se chama "matar o mensageiro"].
[A notícia no blogue do Partido Pirata Argentino]

Esta informação é interessante: a autora do artigo diz que, a ser assim, se uma pessoa matar outra num acidente de trânsito poderia ser acusada a fábrica do carro, a concessionária que vendeu o carro, se o cara estava bêbado, o bar que vendeu a bebida, a fábrica de bebidas e até o patrão que dá trabalho ao cara que matou outro com o carro...

Também diz que assim poderia se fazer uma "indústria": eu faço uma página onde falo mal de mim, espero que apareça em Google e Yahoo e então processo os motores de busca... Eles têm dinheiro suficiente para pagar...

escrito por Eduardo LG, Argentina

2 comentário(s). Ler/reagir:

Anónimo disse...

Poder-se-ia fazer... Ai, ai!

zézé camarão disse...

Solução:

Sociedade unipessoal
sociedade por comandita
sociedade anónima
sociedade por acções
...
Penso q já disse disparates a mais

mas se as "fufas" são contra o casamento tradicional, pporuqe é que hão-de dar o nó.

Que tal tã a porra